29/01/2016 às 08h57m


Gerenciamento do tempo

Preocupamo-nos mais com a utilização do nosso dinheiro do que com a do nosso tempo. No entanto, o dinheiro perdido hoje pode ser recuperado amanhã. E o tempo, uma vez perdido, perdido está! O que passou, passou.

O gerenciamento do tempo é uma das questões cruciais para todo profissional. A discussão do tema extrapola o aspecto profissional, revelando a pessoa e o bom ou mau uso que ela faz do seu tempo e da sua energia.

Você tem medo do tempo?

Certa vez, em um de meus cursos, um participante me disse: — Eu gostaria de ser médico, mas já tenho 28 anos e nem entrei na faculdade... Com os seis anos do curso mais os dois de especialização, quando tudo estiver terminado, já terei 36 anos!

Em resposta, eu lhe perguntei: — Se não estudar e se tornar médico, que idade terá daqui há oito anos?

A questão é sempre esta: as pessoas se impressionam (ou se intimidam) com o tempo que terão de despender para determinadas atividades, mas não se dão conta de que o tempo passa de qualquer forma, quer se empenhem na realização de alguma coisa ou não.

Quando pensam em fazer algo que lhes consumirá muito tempo, costumam assustar-se com a possibilidade de envolver-se tão demoradamente com alguma coisa e, diante disso, desistem. Então, o tempo passa e elas acabam não fazendo nada. Ou melhor: nada significativo, que possa fazer diferença na vida delas. 

Quem não controla o tempo não é capaz de controlar a própria vida,
que nada mais é do um segundo após o outro.

A cota é a mesma para todos

Todas as manhãs, recebemos 86.400 segundos para viver aquele dia. Imagine que somos normais e, desse total de segundos diários, utilizamos 28.800 segundos dormindo, o que representa oito horas de sono. Isso nos deixa com um saldo de 57.600 segundos/dia. 

A diferença profissional está na forma como utilizamos estes 57.600 segundos/dia. 

O tempo é um bem universal, distribuído democraticamente.

Diz-se, popularmente, que se você quiser que algo aconteça entregue-o a uma pessoa ocupada. Isso é verdade, pois pessoas ocupadas administram o tempo de que dispõem de forma a ter tempo para tudo. Conseqüentemente, elas fazem acontecer, e isso as diferencia das demais.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: tempo - gerenciamento - motivação


Compartilhe:



21/01/2016 às 09h14m


O poder da influência

A linguagem corporal representa mais da metade do seu poder de influência. Ela pode aumentar ou diminuir a sua capacidade de influenciar pessoas, de acordo com o nível de empatia que você conseguir estabelecer. E a empatia, por sua vez, está diretamente ligada ao quão confiável você aparenta ser para a outra pessoa.

Conseguimos estabelecer empatia com uma pessoa quando permitimos que ela sinta que somos iguais a ela.  Como conseguir isso? — Pela postura corporal.

Se quiser que uma pessoa sinta confiança em você, seja um espelho para ela. 

Enquanto conversarem, coloque-se em uma posição física semelhante à da pessoa, pois, assim, o comprimento das ondas do seu cérebro se torna semelhante ao comprimento das ondas do cérebro dela, e a comunicação entre vocês flui de maneira mais livre e sem interferências. A esse nível de comunicação, eu dou o nome de cérebro–cérebro. A tendência dele é evoluir para o nível coração–coração.

Quando se coloca na posição do outro, você lhe diz mentalmente: 

— Eu sou igual a você, pode confiar em mim. 

Deus mora no detalhe
Se você cumpre bem a função para a qual foi contratado, não está fazendo nada além do esperado. Por exemplo, segurança, gentileza e pontualidade são atributos que você espera encontrar em uma companhia aérea.

Enquanto faz apenas o esperado, tanto você quanto a companhia aérea se igualam a tantos outros profissionais ou prestadores de serviços nas respectivas categorias. O esperado está sempre implícito; já o inesperado, a surpresa, constitui o detalhe que faz muitos profissionais subirem rapidamente os degraus do sucesso.

Na época em que roupas eram feitas sempre sob medida, por costureiras ou alfaiates, a qualidade da costura costumava ser avaliada virando-se a peça de roupa pelo avesso. Sabe por quê? Porque, pelo avesso, as pessoas podiam ver o detalhe, o acabamento. O acabamento não aparece quando se veste uma roupa, mas faz a diferença para pessoas exigentes.

Quando avaliamos algum serviço que nos é prestado, todos somos muito exigentes: do usuário dos serviços da companhia aérea à pessoa que nos contratou para algum serviço profissional.  E o detalhe, em muitos casos, é a aparência.


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas:


Compartilhe:



15/01/2016 às 09h13m


Aparência e influência

Na vida, somos julgados por quatro coisas: o que fazemos, a nossa aparência, o que falamos e o modo como falamos.

Quando uma pessoa é apresentada a outra, em menos de cinco minutos surge a pergunta: "O que você faz na vida?" 

O modo como você descreve a sua contribuição para o Universo, juntamente com a sua aparência e o conteúdo da sua conversa, constituem fatores importantes no seu poder de influência.

Aparência é fundamental
O modo como nos apresentamos é muito importante. Quando estamos de jeans e camiseta, transmitimos um tipo de mensagem. Quando nos vestimos de modo mais formal, de acordo com a ocasião e com a posição que ocupamos na empresa, transmitimos outro, bem diferente.  

A maneira como nos vestimos é uma mensagem, que comunica quem somos e qual é o nosso propósito. 


O visual pode ser um ponto positivo ou negativo na sua carreira, dependendo de como você cuida dele. Imagine que a campainha da sua casa toca e, quando abre a porta, você depara com dois indivíduos trajando uniforme policial e usando distintivo policial. Até que se prove o contrário, você está sendo abordado pela polícia, não é verdade? Porém, nada foi dito: você concluiu pela aparência do que pôde ver!

Uma pessoa adequadamente vestida para determinado contexto tem um impacto positivo, e o visual passa a ser vantagem estratégica. Não foi por acaso que o presidente norte-americano, George W. Bush, usou jaqueta, em vez de paletó, quando se encontrou com os bombeiros, após o ataque terrorista de 11 de setembro de 2001.

Se você optou por uma carreira executiva, tem de submeter-se a um modo de vestir padronizado pela empresa que você representa. 

De acordo com a situação
A ênfase maior no mérito do que na aparência tem provocado uma onda de "casualização" no modo de vestir, gerando uma descontração profissional. No entanto, na maioria das interações profissionais importantes, o terno para o homem e o tailleur para a mulher ainda são as preferências.

Se houver dúvida sobre como se apresentar em determinadas situações, é melhor contratar uma assessoria especializada no assunto. Há, também, muitos bons livros nessa área.

Algumas dicas importantes para os homens
• Camisas: Brancas ou azul-claras, de algodão puro, com mangas um centímetro mais compridas que as mangas do paletó. O colarinho da camisa deve aparecer um centímetro acima do colarinho do paletó.
• Gravatas: Devem ser 100% seda ou lã, em cores discretas e longas o suficiente para terminar na altura da fivela do cinto.
• Paletós: As lapelas devem ser proporcionais, os ombros bem-definidos e mangas, terminando no começo das mãos.
• Calças: Devem ser mais largas do que justas, com o comprimento na altura do começo dos saltos dos sapatos.
• Sapatos: Com solado em couro, nas cores preta ou marrom-escuro. Sapatos pretos podem ser usados com terno azul ou cinza. Sapatos marrons não devem ser usados com terno azul.
• Meias: Devem combinar com a cor dos sapatos.

Algumas dicas importantes para mulheres
Apesar de, a cada estação, a mulher procurar entrar em sintonia com a moda, existem peças que são indispensáveis para toda executiva:
• Camisas: Brancas ou em tons pastel, de tricoline ou seda.
• Calças: Bem-cortadas, nos moldes do estilo masculino.
• Saias: Retas ou plissadas, de acordo com a largura dos quadris, com comprimento na altura dos joelhos.
• Acessórios: Sapatos bicolores ou coloridos, bolsas de tamanho e alças médios, lenços de seda para o pescoço e jóias delicadas e pequenas.
• Maquiagem: Discreta, mas nunca sem maquiagem.
• Perfume: De boa qualidade, discreto e usado com moderação.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: aparência - influência - motivação


Compartilhe:



07/01/2016 às 09h02m


Os outros precisam saber quem é você

Estamos em uma seqüência de artigos que tratam do seu marketing pessoal, e o seu currículo está incluído nessa seqüência. O currículo não é apenas parte do protocolo de contratação das empresas: ele é o resumo da sua vida profissional. 

Em muitos casos, o currículo é a única forma de que você dispõe para se fazer conhecer em uma empresa; logo, ele precisa ser lido. Para aumentar as chances de que isso aconteça, elabore o seu currículo sucintamente, mas não deixe de incluir informações relevantes da sua vida profissional. 

Outra peça importante do marketing pessoal é a pasta de apresentação de serviços ou folder, como é conhecida no jargão profissional. A utilização do folder é recomendada para profissionais autônomos. Se este é o seu caso, saiba que no folder  você pode incluir desde exemplos de serviços prestados para outras empresas até notas que tenham sido publicadas na imprensa sobre o seu trabalho, além, é claro, da descrição dos serviços que você presta e da sua qualificação para isso.

Sem palavras
Expressão corporal é uma dos aspectos mais importantes no marketing de um profissional bem-sucedido. Há livros inteiros escritos sobre técnicas de como desenvolver o carisma ou o magnetismo pessoal; afinal, o corpo fala mais do que imaginamos! 

Uma expressão corporal correta pode ser descrita da seguinte forma:
• postura naturalmente ereta; 
• olhar direto, sem ser incisivo; 
• distância física adequada para sentir-se à vontade, sem constranger nem ficar constrangido; 
• aperto de mão firme, demonstrando segurança; 
• sorriso amável e confiante; 
• palavras pronunciadas em velocidade e entonação adequadas para uma perfeita compreensão, ditas com um timbre vocálico agradável e com as inflexões necessárias ao que quiser enfatizar.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: você - motivação - conhecimento


Compartilhe:



Perfil

Palestrante internacional, ex-diretor da Merck Sharp & Dohme e da Ciba-Geigy Corporation, nos Estados Unidos, e autor de vários livros que se tornaram best-sellers no Brasil e em países da América Latina e da Europa. Médico cardiologista, viveu 17 anos nos Estados Unidos, onde realizou treinamentos e pesquisas na Harvard Unversity, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University.
Webpage: www.lairribeiro.com.br
e-mail: lrsintonia@terra.com.br
Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: