29/01/2015 às 08h59m


Mapa do tesouro: você já encontrou o seu?

Crianças, geralmente, ficam fascinadas com brincadeiras de caça ao tesouro. Mas elas crescem e passam a acreditar que, no mundo real, não há tesouro escondido e que as riquezas do mundo estão reservadas para os sortudos, esquecendo-se de que o maior tesouro está dentro delas mesmas. Para encontrá-lo, porém, é preciso ter um mapa. 

A idéia é simples: quando você tem de visitar um cliente pela primeira vez, você pega o guia de ruas, localiza a endereço e, depois, a partir do ponto em que se encontra, traça uma rota para chegar ao destino. Na vida, para ser bem-sucedido, também é preciso ter um endereço (destino final) e, depois, sabendo onde você se encontra naquele momento, traçar um plano de ação que o leve aonde você quer ir.. Simples, não é? Mas muita gente pula essas etapas e embarca em uma viagem sem fim que conduz a lugar nenhum. 

No mundo em que vivemos, se andarmos sempre na mesma direção, voltaremos inevitavelmente, ao ponto de partida. Para conquistar objetivos é preciso defini-los claramente, tendo metas como alavancas para vencer a inércia. Mas é importante que as metas sejam positivas, pois vamos nos mover em direção a elas, e ninguém gosta de ir de encontro ao sofrimento. E as metas têm, também, de ser coerentes com nossos valores. 

Valores são estados de espírito que expressam quem somos. Agimos, intuitivamente, de acordo com nossos valores, apesar de muitas vezes, desconhecermos os valores que nos movem. Uma coisa é certa: quando realizamos algo alinhado aos nossos valores, sentimo-nos plenos e felizes. É, pois, crucial identificar e fortalecer nossos valores, para que, ao traçar nossas metas, tenhamos condições de executá-las com sucesso. 

Caso você tenha uma meta bem definida, faça o caminho inverso e busque identificar, a partir da meta, que valores estão por trás dela.

Depois de definir metas e identificar valores, está na hora de traçar o mapa. Se você deseja comprar uma casa, por exemplo, estipule uma data para a compra. Depois, examine sua situação e desenhe uma estratégia. O que o impede de comprar a casa hoje? Falta de dinheiro? Como você pretende comprar a casa: à vista ou financiada? E o que você precisa para juntar a quantia faltante? Trabalhar mais? Economizar mais? Ser promovido? Mudar de emprego? Anote tudo o que lhe vier à mente numa folha de papel, de forma ordenada e coerente. Você está esboçando o seu mapa do tesouro.

Mas há metas intangíveis, como querer comunicar-se melhor, por exemplo, que também requerem um plano de ação. Então, pesquise sobre o assunto, procure ajuda profissional, busque desvendar seus bloqueios, encontrar a origem do problema e aja, interferindo no processo. Como estratégia, inclua exercícios de visualização: imagine-se comandando uma palestra na sua empresa, veja a roupa que usará, escute o discurso que fará, observe seus modos, sinta a reação das pessoas... Assim, quando estiver numa situação real, terá como avaliar e reconhecer sua vitória!

Imagine que sua trajetória até a realização de um objetivo é uma linha de trem: entre o "embarque" e o "destino final" existem várias "paradas", e é preciso passar por todas antes de chegar ao "destino". 

Na vida, o "destino final" do trem pode ser chamado "metas de resultado" e as "estações", de "metas de processo". Vencer cada meta de processo fornece combustível extra para você se manter na linha e conquistar sua meta de resultado. Por isso, quando for desenhar seu mapa, dê muita atenção às ‘estações", às paradas durante o caminho, para não ficar com a sensação de seu tesouro é inatingível. E com o mapa traçado, só lhe resta dar o primeiro passo em busca do seu tesouro. Só depende de você! Boa sorte! 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: mapa - tesouro - motivação - lair ribeiro


Compartilhe:



22/01/2015 às 07h51m


Beleza natural e saudável

Há pouco tempo, um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) alertou: o Brasil é o maior consumidor de remédios para emagrecer. Enquanto em nações européias o consumo de medicamentos à base de anfetaminas vem caindo, aqui a história é outra, pois juntam-se a obstinação da mulher brasileira pelo corpo perfeito, a falta de fiscalização dos órgãos competentes junto a farmácias que vendem essas drogas sem receita médica e a imprudência de médicos que emitem receituários solicitando o consumo de tais substâncias indiscriminadamente.

O uso continuado de anfetaminas, além da perda de peso, provoca aumento permanente da pressão sanguínea e distúrbios psicológicos, como agressividade, irritação, paranóia, confusão de pensamento, verborréia (excesso de palavras para dizer coisas de pouco conteúdo), compulsividade e até esquizofrenia. As mulheres constituem 90% dos usuários da droga.

Recente pesquisa revela que pessoas "bonitas" conquistam mais sucesso no ambiente de trabalho e que, além da discriminação por sexo e raça, pessoas bem cuidadas chegam a ganhar 10% mais.

O crescimento da indústria da beleza no Brasil também é revelado pelo crescente aumento de academias abertas em todo o território nacional. De acordo com matéria publicada pela Revista Veja, edição especial, em dezembro de 2003, existiam no Brasil sete mil academias, que atendiam a 3,5 milhões de alunos, representando em torno de 2% da população brasileira. Ainda com base nos dados publicados pela revista, o Brasil só perde para os Estados Unidos em número de academias, onde há 20.200 estabelecimentos abertos. E em relação ao número de pessoas matriculadas, o Brasil vem em quarto colocado, depois dos Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha. 

A popularização de cirurgias estéticas também revela o crescimento da indústria da beleza em nosso país. Nessa área, o Brasil perde apenas para os Estados Unidos. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a média é de 500 mil cirurgias por ano, cerca de 60% delas para fins estéticos. Dessas, 70% são em mulheres e 15% em adolescentes. 

Vítimas em potencial, as mulheres almejam ter seios como os de fulana, boca igual à de sicrana, bumbum idêntico ao de beltrana e, assim, multiplicam-se copiando corte de cabelo e medidas que não são suas, perdendo sua identidade e beleza natural. Muitas vezes, para conquistar o "corpo perfeito", exageram nos exercícios físicos, apelam para cirurgias perigosas, privam-se de uma alimentação balanceada e, como resultado, até chegam a atingir as medidas desejadas, mas acabam com a saúde. 

Não há beleza maior que a exibida por uma pessoa saudável e em paz com o espelho. Mas o que é beleza? Platão, no século 4 a.C., reconhecia o caráter sensível do belo, dizendo que a beleza é a única idéia que resplandece no mundo. Desde então, o belo e o feio entraram na pauta de discussões. O ditado "gosto não de discute" surgiu a partir das conclusões de filósofos empiristas, que relativizaram a beleza ao gosto de cada um. Por sua vez, Kant afirmou que o belo é "aquilo que agrada universalmente, ainda que não se possa justificá-lo intelectualmente". 

Beleza tem a ver com autenticidade e singularidade. Antes de conquistar olhares alheios, a beleza deve vir de dentro, refletindo um estilo de vida saudável e o prazer em viver bem, com saúde e feliz. O resto, é conseqüência! O que atrai as pessoas, de verdade, é o belo sorriso e o bom-humor de uma pessoa autoconfiante, pronta para alcançar o sucesso profissional e pessoal. 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: beleza - saudável - natural - motivação


Compartilhe:



15/01/2015 às 07h44m - Atualizado 15/01/2015 às 07h51m


Autoconhecimento – A alavanca para uma vida plena

Em um mundo dinâmico e em plena evolução como o que vivemos, as pessoas estão sempre correndo, muito ocupadas, com medo de olhar para dentro de si mesmas e descobrir sua verdadeira essência. Temem seus monstros, mas não imaginam que, ao superá-los, poderão encher-se de energia e tornar-se aptas a conquistar uma vida plena e mais feliz. 

Muitas vezes, evitamos entrar em contato com nossos sentimentos mais profundos, até mesmo como forma de nos proteger do que poderia vir à tona se nos permitíssemos nos expressar como verdadeiramente somos. Como fuga, muitas pessoas mergulham no trabalho e em atividades produtivas, enquanto outras embarcam em viagens obscuras, entregando-se a vícios como alcoolismo, jogo ou drogas. 

"Quem é você?". Alguma vez você tentou responder a esta pergunta sinceramente? É preciso coragem para escutar a resposta com atenção. Permitir-se reconhecer suas próprias falhas e propor-se mudanças efetivas não é tarefa simples. É importante reconhecer suas virtudes e conquistas, traçar novos planos e metas e perseverar em busca do sucesso! Você só terá chances de se sair bem no jogo da vida quando souber quais são seus pontos fracos (falhas) e suas armas poderosas (virtudes), e tiver controle sobre eles. 

Quem costuma dizer "Quem me dera poder ter tal coisa..." ou "Quem sou eu para fazer isso..." ou "Isso não é para mim, conheço meu lugar..." é porque não se conhece o bastante para saber tudo de que é capaz. Presas a crenças e idéias equivocadas a respeito da vida e de si mesmas, essas pessoas vivem à margem da vida, como platéia e nunca como ator principal.

De início, uma viagem para dentro de si mesmo pode não ser muito prazerosa, mas é inegável que trará um novo sentido à vida de quem lançar-se a tal empreendimento. O processo inicial é longo, pois é preciso retirar cuidadosamente as máscaras que escolhemos para nos proteger do olhar dos outros e do nosso próprio olhar. Muitas vezes, essas máscaras de tão usadas já se sedimentaram, tornando-se sólidas, duras, como se fizessem parte de nós. Quando envolvidos nesse tipo de máscara, olhamo-nos no espelho e não nos vemos. Nossa real identidade está muito bem escondida, não se revela nem mais a nós mesmos. 

Um dos meios para se conhecer melhor é saber exatamente o que você quer, de que coisas está disposto a abrir mão em favor de seus objetivos e qual o melhor caminho a seguir. Reflita a respeito de onde e como você deseja estar daqui há seis meses, um ano, cinco e dez anos. Depois, busque identificar o que lhe falta para chegar lá. 

Primeiro, preste atenção à sua rotina, tente identificar em que ela o incomoda, e, então, passe a observar, avaliar, criticar e encontrar saídas para aquele ponto, especificamente. Seja um observador de si mesmo. Reveja sua vida como quem assiste a um filme. Pegue lápis e papel e registre, escreva tudo o que lhe vier à mente. Depois, use sua capacidade racional e analise cuidadosamente o que tiver escrito. Esteja aberto a críticas pessoais e identifique pontos que precisam ser modificados. Às vezes, pequenas coisas podem se transformar em muralhas intransponíveis. Se você conseguir identificá-las a tempo, poderá agir e impedir que o prejudiquem. 

Reflita a respeito do que gosta de fazer nas suas horas livres: prefere ler um bom livro ou ir ao cinema? Qual o seu prato preferido? Suas escolhas têm sido coerentes com suas vontades e desejos? O que o impede de conquistar suas metas? 

Converse consigo mesmo, pois é a partir dessa conversa interna que você poderá desenvolver o autoconhecimento e ter controle sobre suas emoções. Sem isso, você será incapaz de atuar no mundo em que vive. E nós só conseguimos controlar algo se o conhecermos muito bem. 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: autoconhecimento - alavanca - vida plena


Compartilhe:



08/01/2015 às 07h50m - Atualizado 08/01/2015 às 07h51m


Você está preparado para ser promovido?

Promoção, no universo corporativo, nada mais é que o coroamento de um profissional competente, ético e engajado com as metas e os valores da empresa, respeitando seus pares e colaboradores. 

Investir em conhecimento técnico, específico para a função que deseja ocupar, é importante, mas não o suficiente. É preciso manter-se constantemente atualizado, não apenas em relação às novas tecnologias da sua área de atuação, mas também quanto ao cenário global e às perspectivas econômicas do país e do mundo. No mundo globalizado, tudo está interconectado. As empresas querem que seus líderes sejam profissionais de visão, capazes de enxergar além do lugar-comum, antecipando-se ao futuro. 

Nesse cenário, pessoas arrojadas ocupam lugar de destaque. Aquelas que, pautadas pelo bom senso e pela objetividade, ousam e estão dispostas a correr riscos têm mais chances de ser bem-sucedidas. Pessoas que se antecipam a problemas e encontram soluções diferenciadas, assumem responsabilidades e mostram-se aptas a viver em um mundo em constante mudança. 

O sucesso também é uma ciência e, como tal, pode ser aprendida. Antes, porém, é preciso se conhecer melhor, pois o autoconhecimento é a chave para o sucesso. Apenas se permitindo reconhecer suas falhas e aptidões você conseguirá implementar as mudanças necessárias para corrigir seus pontos fracos ou ressaltar seus pontos fortes.   

Uma promoção errada pode destruir uma carreira. Imagine um técnico altamente competente que é promovido a gerente do setor em que trabalha. Ele pode dar o melhor de si, tornando-se um técnico ainda melhor, mas isso não fará dele um bom gerente. Ele estará fadado ao fracasso se não se ajustar à nova realidade e adquirir habilidades em liderança e gestão de pessoas. 

Quem almeja um cargo de liderança tem de gostar de lidar com pessoas. Se esse não é o seu perfil, esqueça. Procure outros caminhos, invista em outras competências e reavalie a sua meta profissional. Mas se você tem um bom envolvimento com seus colegas, mesmo que não seja o "número um", tem mais chances de ser um bom líder, pois competências técnicas são mais fáceis de ser aprendidas. 

Avaliar adequadamente uma oportunidade e saber recusá-la, caso não esteja preparado ou não se encaixe à nova posição, é sinal de maturidade e não configura falta de competência. Ao contrário, mostra que você está atento à sua realidade e focado em seus objetivos. Além disso, a consciência da sua fraqueza frente à demanda ou ao desafio pode ser o estopim para que você busque preparar-se melhor para as próximas oportunidades. 

Promoção não se pede. Então, para fazer sua imagem profissional saltar aos olhos de seus superiores ou do pessoal de RH quando surgir uma oportunidade, seja competente, ético e transparente; invista em conhecimento; mantenha-se atualizado; comprometa-se com a visão e os valores da companhia; tenha uma postura empreendedora; e desenvolva características pessoais, como liderança, iniciativa, capacidade para delegar.

Ingressar em uma grande corporação não garante mais emprego para toda a vida. Ao contrário, cada vez mais, nas grandes corporações, o profissional é posto a prova constantemente. Apenas os mais eficazes sobrevivem e, mesmo assim, precisam continuar se aprimorando para não serem postos de lado amanhã... Portanto, esteja atento às características profissionais necessárias para garantir um lugar de destaque no rol das pessoas bem-sucedidas. 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: promoção - corporativo - preparação


Compartilhe:



01/01/2015 às 18h34m


Tabagismo — Apague esse vício

A fumaça do cigarro é tão prejudicial quando a expelida pelo escapamento de um automóvel. Enquanto o escapamento libera de 30 a 80 mil ppm (partículas por milhão) de monóxido de carbono, o cigarro emite de 20 a 60 mil ppm. 

Em janeiro de 2006, a Comissão de Recursos Atmosféricos da Califórnia, estado norte-americano considerado referência em regulamentação sanitária e ambiental, aprovou a definição da fumaça de cigarros como "contaminação tóxica do ar". A iniciativa ganhou força depois que uma pesquisa revelou que, entre os pesquisados, 16% eram fumantes, mas 56% dos adultos e 64% dos adolescentes estavam expostos à fumaça alheia. A pesquisa indicou, ainda, que cerca de 6,6 mil californianos morrem anualmente de doenças associadas à exposição ao fumo. Dos países que lutam contra o tabagismo, o Canadá saiu na frente, proibindo o fumo em locais fechados e incentivando os postos de venda de cigarros a oferecer alternativas para o controle do vício, como adesivos e gomas de nicotina. No Brasil, o pioneirismo ficou por conta da proibição do fumo em locais fechados, apesar de ainda não haver rigor na punição dos infratores. 

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabagismo é terceira causa de morte evitável em todo o mundo. Mata mais que aids, alcoolismo, cocaína, heroína e acidentes de trânsito juntos. Das mais de 4.800 substâncias químicas que são liberadas durante a combustão do tabaco, cerca de 60 são cancerígenas. E a nicotina, que não provoca câncer, induz ao vício.

O tabagismo pode causar câncer de pulmão, enfisema pulmonar, bronquite crônica, doenças cardiovasculares, aneurismas arteriais, úlcera do aparelho digestivo, infecções respiratórias, trombose vascular, amarelamento dos dentes, envelhecimento da pele, mau-hálito, perda do fôlego e queda da resistência física e do desempenho esportivo. Além disso, há o risco de impotência sexual, infertilidade, câncer do colo do útero, menopausa precoce e dismenorréia. Um estudo do Departamento de Psquiatria da Universidade de Michigan revelou, ainda, que o consumo contínuo de tabaco torna o pensamento mais lento e reduz o QI (Quociente de Inteligência).

O tabagismo é responsável por 4,9 milhões de mortes anuais em todo o mundo, e a incidência de tabagistas entre os mortos pelas causas mais conhecidas é assustadora. Veja a porcentagem de fumantes detectada nas principais causa mortis:
- Câncer de pulmão: 90% 
= Bronquite e enfisema: 85%
- Bronquite crônica: 40%
- Outros tipos de câncer, como de boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo do útero: 30%
- Doenças coronarianas: 25%
- Doenças vasculares: 25%

A mulher que fuma durante a gestação pode ter desde o descolamento prematuro da placenta e hemorragias, levando a um possível aborto, até o nascimento prematuro da criança, com baixo peso. E a criança poderá manter o quadro de baixo peso e apresentar distúrbios de desenvolvimento motor e intelectual. Se a mãe parar de fumar na fase de amamentação, o bebê pode apresentar sintomas da síndrome da abstinência, como irritabilidade, choro fácil e tremor de braços e pernas. Atenção: bebês cujos pais são fumantes apresentam cinco vezes mais risco de morte súbita sem causa aparente. 

Antes de acender um cigarro, olhe à sua volta, pense no futuro e desista da idéia. Lembre-se de que, fumando um maço de cigarros por dia, por mais de dez anos, você está jogando fora, em média, cinco anos de vida.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: tabagismo - vício - cigarro


Compartilhe:



Perfil

Palestrante internacional, ex-diretor da Merck Sharp & Dohme e da Ciba-Geigy Corporation, nos Estados Unidos, e autor de vários livros que se tornaram best-sellers no Brasil e em países da América Latina e da Europa. Médico cardiologista, viveu 17 anos nos Estados Unidos, onde realizou treinamentos e pesquisas na Harvard Unversity, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University.
Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: