26/12/2014 às 06h52m


O poder da visualização

Viver de bem com a vida, com os outros e com o Universo conspirando sempre a seu favor é o objetivo de muitas pessoas, mas poucas conseguem isso. 

Segundo Jung, psiquiatra suíço, quem quiser obter êxito precisa promover o resgate do seu Eu Interior antes de empreender conquistas externas, mas acessar a área secreta de si mesmo exige coragem e determinação. É preciso aprender a linguagem do inconsciente. 

Imagine que sua mente é uma casa: a sala é o consciente, o que você permite que os outros vejam, e o tapete da sala é o inconsciente, onde você esconde aquilo que não quer ver nem quer que os outros vejam. 

A sociedade em que vivemos valoriza muito a razão e pouco os sentimentos, as emoções e o que é empurrado para debaixo do tapete, e isso nos desequilibra. Mas é justamente o equilíbrio entre a razão e a emoção o que nos torna seres mais completos e sintonizados com a vida. 

Desde pequenos, aprendemos a racionalizar, a nos comunicar por meio de palavras, e a desenvolver um raciocínio lógico, que nos integra ao nosso meio social. Mas pouco aprendemos sobre o nosso lado emocional e instintivo. Sentimentos como medo, ansiedade, tristeza, alegria e excitação são induzidos pelo que está escondido no inconsciente, e saber como ter acesso a esse conteúdo é a chave para o sucesso. Portanto, permitir que esse cofre de sensações seja aberto é o primeiro passo para uma vida bem-sucedida. E o segundo é estabelecer uma comunicação adequada consigo mesmo, à fim de promover uma reprogramação mental, o que pode ser feito mediante uma técnica bastante simples: a visualização.

Visualização é uma técnica de desenvolvimento pessoal a partir da utilização de imagens para a realização de mudanças significativas em todos os aspectos da vida.  

Por lidar diretamente com as zonas cerebrais criadoras de imagens, a visualização permite dissolver padrões de comportamento preestabelecidos e desenvolver uma conduta mais saudável e próspera. 

Existem técnicas específicas de visualização que a tornam uma ferramenta poderosa para a conquista de coisas que, de outro modo, seriam bastante difíceis, mas para comprovar sua eficácia é preciso treinar a mente. Uma dessas técnicas é o Swish, inspirada no comando de alguns televisores que permitem assistir a um canal e deixar outro em uma pequena janela no canto inferior da tela; assim, quando achar conveniente, você pode trocar as posições. Trata-se de uma das principais técnicas de Programação Neurolingüística (PNL) para redirecionar o cérebro de forma rápida e simples. Se quiser experimentá-la, faça assim:

- Procure um local tranqüilo, sente-se confortavelmente e relaxe.
- Crie uma imagem mental de uma situação que você queira mudar e coloque-a em primeiro plano na sua tela mental. 
- Agora, crie uma imagem mental da situação ideal, a que você quer colocar no lugar da anterior, e coloque-a em uma pequena janela, no canto inferior esquerdo da sua tela mental.
- Por fim, como no televisor, faça swish, invertendo as imagens: a situação ideal passa a ocupar toda a sua tela mental e a outra fica reduzida. 
- Faça isso cinco vezes seguidas. Depois, visualize o resultado positivo em três situações futuras.

Com as técnicas de visualização, você reprograma sua mente e, gradualmente, passará a controlar o seu inconsciente e a utilizá-lo a seu favor.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: reprogramação - mente - visualização


Compartilhe:



18/12/2014 às 07h23m


Falhar em planejar é planejar em falhar

É sempre a mesma história. Mais ou menos no meio do mês de novembro, começa a correria. É preciso finalizar trabalhos pendentes, redobrar a atenção aos filhos, planejar as férias da família, fazer a revisão do carro, fazer as compras de Natal, cuidar dos preparativos para a ceia e planejar o próximo ano.

Mas você não precisa passar por isso. Basta traçar um detalhado plano de ação e colocá-lo em prática. Se você realmente almeja concretizar suas aspirações, é preciso ir além da "listinha" de intenções. 

Lembre-se de viver o presente, o aqui e agora. Você sabe o que é preocupação? Preocupação é manter a mente ocupada antes da hora, ou seja, previamente (pré-ocupação). 

Se você acha que pensando nos problemas conseguirá solucioná-los, engana-se. Isso apenas pré-ocupa a sua mente e o impede de buscar soluções. A maioria de nós, quando adulto, adquire o péssimo hábito de complicar a vida. Esforce-se para enxergar as coisas como elas realmente são e veja que, assim, é muito mais fácil lidar com elas. 

Para tornar seus sonhos realidade, é fundamental estipular quando e como eles irão se realizar. A vida só tem sentido quando definimos metas positivas, seja para o campo pessoal, profissional, financeiro ou familiar. Mas, para sair da inércia, é preciso ter consciência de onde você está, aonde quer chegar e qual caminho seguir. 

Se você almeja ser uma pessoa bem-sucedida e próspera em tudo o que faz, precisa também desenvolver outras habilidades, como a persistência e a perseverança. Velhos hábitos e crenças não mudam de uma hora para outra. Mas, com disciplina e insistência, você pode transformar a sua vida e obter o sucesso em suas ações. 

Antes de mais nada, defina seus valores. Descubra o que o leva a buscar por seus objetivos. Seja verdadeiro com você mesmo.  

Refletir sobre suas finanças, por exemplo, é um exercício fundamental, que deve ser freqüentemente revisado. Para conquistar a felicidade, todas as áreas da vida têm de estar equilibradas. É preciso identificar que áreas estão sendo mais ou menos trabalhadas e, se detectado algum desequilíbrio, agir para reverter o processo.

Saber identificar o que é prioridade, separando o que é urgente do que é importante, também ajuda a manter o foco afinado com seus objetivos, pois o que é urgente nem sempre é importante e vice-versa. 

Avaliando suas tarefas diárias, é possível reorganizar seu tempo em função de suas metas. Deter-se em tarefas que não são urgente nem importantes é perda de tempo. O ideal é utilizar a maior parte do tempo em ações produtivas, que sejam importantes, mas não necessariamente urgentes. 

Uma vez definidos seus valores e prioridades, desenhe uma estratégia simples, objetiva e realista. Dê um passo de cada vez e você será capaz de superar cada batalha, juntando energia para vencer a guerra. 

Baseie sua ação em uma "Pirâmide da Produtividade": na base, seus valores dominantes; logo acima, as metas de médio e de longo prazos; e no topo, as tarefas diárias. Cada pequena ação pode ser revertida em algo muito maior. É essa a energia que irá movê-lo em direção a seus objetivos. 

Acumular várias pequenas vitórias ao longo de um processo fortalece o espírito e alimenta o sistema de motivação interior. E sentindo o sabor das pequenas vitórias você vai construindo um caminho de sucesso e de prosperidade, impedindo que o estresse e a ansiedade tomem conta de sua vida.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: planejamento - falhas - lair - realização


Compartilhe:



11/12/2014 às 07h49m


Vestibular: obstáculo ou etapa?

O vestibular é uma etapa muito importante na vida de milhares de jovens, marcando, em muitos casos, o início da idade adulta. Não há como não sucumbir ao nervosismo, à insegurança e à ansiedade que, no período pré-vestibular, se potencializam e somam-se ao cansaço, culminando no estresse, mas é possível driblar os efeitos negativos do estresse pré-vestibular e sair-se fortalecido desse processo. 

Muita coisa pode influenciar no desempenho do vestibulando, comprometendo seus resultados. Portanto, uma das medidas mais importantes é reduzir a "margem de erro" reduzindo o estresse.

Todo estudo e dedicação podem ser perdidos por causa de uma noite mal-dormida, principalmente se for a de véspera da prova. Quando dormimos mal, acordamos cansados ficamos menos produtivos. Erros banais podem ser cometidos por falta de atenção a detalhes, e as chances de ocorrer lapsos de memória são muito maiores. 

O vestibulando precisa ter uma regularidade de sono durante todo o período de preparação para o vestibular. A carência de sono afeta a capacidade cognitiva, pode levar à perda de memória de fatos recentes, prejudica a concentração, diminui a capacidade de raciocínio e aumenta a irritabilidade! 

Para ingressar em uma faculdade conceituada você terá de investir em um plano de estudo de longo prazo. Lembre-se de que é melhor dedicar-se a um ou, no máximo, três vestibulares, do que se desgastar em uma maratona de provas. Se você pretende inscrever-se em várias instituições, preste atenção:

- Evite prestar vestibulares diferentes que ocorrem no mesmo dia ou fazer provas em diferentes cidades sem um intervalo de descanso entre as viagens. 
- Nos dias de folga entre as provas, descanse! 
- Se sentir-se sobrecarregado, faça uma análise dos vestibulares que irá prestar e descarte alguns. 

Em véspera de vestibular, o vestibulando precisa descansar. Nada de pensar em provas. Uma boa dica é ir ao cinema ou caminhar em um parque e ficar longe de programas noturnos e de bebidas alcoólicas. Evite, também, discutir com pais, irmãos, namorado ou namorada... Evitar os excessos, principalmente na alimentação, é outra recomendação importante, pois o nervosismo pode provocar irritação gastrointestinal, dor de estômago e, até mesmo, ânsia de vômito. Portanto, faça refeições leves e balanceadas, tanto na véspera quanto no dia da prova. 

A prática de exercícios físicos é uma excelente alternativa para controlar o estresse e a ansiedade, pois auxilia na oxigenação cerebral, intensifica a formação de sinapses (conexões entre os neurônios) e estimula a atividade mental, além de provocar sensações imediatas de bem-estar e de relaxamento, melhorando a qualidade do sono! 

Na véspera da prova, pode até dar uma olhada nos livros e apostilas, mas só nas matérias que domina, para evitar a sensação de "não sei nada". Certamente, você se deparará com questões que não saberá responder, mas isso não o impedirá de ingressar na faculdade. Empenhe-se em fazer uma boa prova, mas sem perfeccionismo. Quando estiver diante de uma questão que não sabe responder, pare, respire, beba água, mude de matéria (espere pelo menos dois minutos antes de começar um novo assunto) e continue a prova. 

Ver o seu nome na lista dos aprovados é a recompensa máxima que um vestibulando pode ter ao fim da jornada, mas se isso não acontecer, não se desespere. Encare como mais um desafio para o próximo ano e empenhe-se em ganhar mais conhecimento. 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: vestibular - obstáculo - etapa - vida


Compartilhe:



04/12/2014 às 07h14m


Gratidão — A mãe de todas as virtudes!

Muitas pessoas projetam sua felicidade em alguma coisa que talvez nunca acontecerá e esquecem-se de viver o presente.

Vítimas em potencial, essas pessoas vivem reclamando de suas reais condições, mas raramente se propõem estratégias significativas para mudar. Elas não planejam, não se colocam em movimento em direção àquilo que, imaginam, lhes trará felicidade. Seguem passivas, aceitando o que a vida lhes dá. Muitas delas até pensam assim: "O que vier, é lucro!" Nada de errado em aceitar de bom grado o que a vida dá. A verdade, porém, é que a muitas pessoas que esperam para viver "quando alguma coisa acontecer" não reconhecem como dádivas aquilo que a vida lhes dá, mas, ao contrário, reclamam do que ela não dá, sentindo-se injustiçadas! 

Essas pessoas fazem alguma coisa para receber mais do que recebem? Elas agradecem por aquilo que têm e, também, pelo que não têm e não gostariam de ter, como doenças, por exemplo? 

No momento em que agradecemos ao Universo, ele nos retribui. 

É preciso entender que o fato de agradecer ao Universo, de demonstrar gratidão, não tem nada a ver com fé ou devoção. É um mero feedback que damos ao Universo para que ele saiba o que deve e o que não deve continuar nos oferecendo. Se não sinalizarmos positiva ou negativamente em relação ao que temos recebido, o Universo continuará nos provendo de "coisas" indiscriminadamente, que podem ser aquilo que queremos, mas também podem ser o que não queremos. Se dermos um feedback, passamos a participar ativamente da distribuição da riqueza universal.

Gratidão é uma virtude que precisa — e deve! — ser cultivada e desenvolvida continuamente. Em vez de se lastimar, procure colocar-se positivamente perante as adversidades. Lembre-se: obstáculos surgem para serem transpostos. E para vencê-los e aprender com eles, temos de mudar nossa percepção a respeito da vida. Adotar uma atitude positiva, agradecendo sempre, abre caminhos que podem conduzir ao autoconhecimento, aumentar a auto-estima e estabelecer sintonia com tudo e todos ao redor.

É simples ser grato, mas essa atitude deve ser uma escolha e não uma obrigação. Deixar a sua voz interior falar, abrir sua mente para um mundo novo de percepções e sensações e voltar-se para as coisas mais simples da vida são atitudes que o levarão a perceber as bênçãos que acontecem a todo instante na sua vida e você nunca havia notado. Você passará a sentir-se protegido, amparado e ajudado. 

O sentimento de gratidão nos liberta da preocupação e nos acalma. Ao agradecer, liberamos tensões acumuladas. A gratidão tem o poder de curar doenças físicas e emocionais, como depressão, tristeza, solidão, melancolia, baixa auto-estima e ansiedade, entre outras. Por isso, em vez de apenas criticar os outros ou guardar mágoas, busque reconhecer as qualidades que as pessoas têm e de que forma elas contribuem para o seu crescimento pessoal e espiritual. Abra mão da irritação, da impaciência e da hostilidade e em favor da serenidade e da leveza de espírito. Mas seja sincero em seus agradecimentos.  

Agradeça sempre! Do sorriso recebido de um desconhecido à saúde, ao dinheiro, aos negócios, aos problemas...

Se acontecer uma desgraça, agradeça, não pela desgraça, mas pela experiência que trouxe para a sua vida. Na vida, as coisas acontecem porque têm de acontecer, e delas podemos tirar proveito ou prejuízo. A escolha é sua!


e-mail: lrsintonia@terra.com.br



Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: gratidão - virtude - sentimento


Compartilhe:



Perfil

Palestrante internacional, ex-diretor da Merck Sharp & Dohme e da Ciba-Geigy Corporation, nos Estados Unidos, e autor de vários livros que se tornaram best-sellers no Brasil e em países da América Latina e da Europa. Médico cardiologista, viveu 17 anos nos Estados Unidos, onde realizou treinamentos e pesquisas na Harvard Unversity, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University.
Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: