28/08/2014 às 12h14m


Atividade física & Bem-estar — Amigos inseparáveis

O corpo humano é uma máquina e precisa de manutenção e cuidados para manter-se saudável. Cada vez mais cercados de comodidade e de controles remotos, vamos, lentamente, deteriorando nosso complexo organismo, mas nossa fisiologia revela que fomos feitos para o movimento. Não evoluímos durante milhões de anos para ficar esparramados no sofá, vendo televisão, ou sentados diante de um computador! 

O corpo precisa de movimento. A prática regular e bem orientada de atividade física pode trazer inúmeros benefícios ao organismo, como manter a pressão arterial em níveis normais, revigorar o coração, melhorar a postura corporal, fortificar os ossos, reforçar o sistema imunológico, controlar os níveis de açúcar, promove o equilíbrio hormonal, aliviar os sintomas da TPM (nas mulheres), proteger a próstata (nos homens) e favorecer o sono, o bom-humor e a auto-estima.

Uma hora de atividade física, corretamente praticada, pode render até duas horas a mais na vida de uma pessoa. Mas atividade física não é sair correndo, com o "coração na boca", pois exercício em excesso é tão prejudicial quanto a ausência dele, podendo causar fadiga, dores de cabeça e muscular, arritmia cardíaca, hipertensão arterial, insônia, tensão facial, queda de cabelo, inchaço, entre outras. Além disso, estimula a produção de radicais livres, responsáveis diretos pelo envelhecimento precoce e pode gerar ansiedade, raiva, angústia, impaciência, depressão e queda na capacidade de concentração.. É preciso buscar o equilíbrio, sempre! Para isso, esteja atento aos limites saudáveis, qualquer que seja a prática escolhida. 

A atividade física pode fazer muito pela sua saúde física e mental, desde que bem orientada. Antes de iniciá-la, é preciso fazer uma série de exames para avaliar seu estado de saúde atual e saber qual é a prática adequada ao seu perfil e/ou necessidade. 

Hoje, existem muitas opções de atividade física. Se você está há muito tempo sem se exercitar, procure identificar alguma que lhe agrade e dê o primeiro passo. Visite academias, faça aulas experimentais, converse com pessoas da sua faixa etária que pratiquem a modalidade escolhida e avalie se o acesso ao local é fácil para você.

Para deixar de ser sedentário, você não precisa ficar horas nos aparelhos de musculação nem correr dez quilômetros diariamente. Meia hora de atividade física por dia é o suficiente! Você pode começar com caminhadas no bairro em que você mora. Basta um tênis, uma roupa confortável e, se achar desagradável andar sozinho, é só arrumar um cãozinho e levá-lo para passear. Sua caminhada solitária se torna perfeitamente justificada, sem contar que ter um bichinho de estimação faz bem para o coração.

Práticas ao ar livre devem ser feitas bem cedo. De qualquer modo, proteja sua pele com um bom filtro solar, e use bonés, viseiras ou óculos escuros, desde que as lentes tenham filtro de proteção contra os raios UV, para proteger seus olhos.

Não adianta se matar de correr no parque uma vez por mês. Vá com calma e seja constante. E se não quiser gastar dinheiro nem tempo indo a uma academia, tenha hábitos inteligentes no dia-a-dia, como caminhar uma parte do trajeto até o seu local de trabalho ou usar escadas em vez de elevador, por exemplo. Se você se exercitar de modo controlado, obterá disso muito mais do que condicionamento físico. Obterá saúde e físico e mental, que lhe trará serenidade e lhe permitirá viver de modo muito mais harmonioso. 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: atividade física, bem-estar, saúde


Compartilhe:



21/08/2014 às 08h17m


Seu corpo, templo da sua alma

Você não vai ter mais saúde apenas porque prometeu isso em cima de um banquinho, chupando seis uvas na virada do ano. Não adianta fazer promessas e não se comprometer com elas. Saúde é resultado de uma vida zelosa. 

A maioria das pessoas nasce saudável, mas só as que se cuidam conseguem manter-se assim. Alimentação saudável e atividade física regular são alguns desses cuidados. Afinal, a máquina humana precisa de nutrição adequada e de movimento, acima de tudo, para não entrar em processo de deterioração. 

Hoje, temos de nos preocupar com saúde muito mais do que nossos antepassados se preocuparam. Afinal, somos atingidos pela poluição atmosférica, excesso de lixo, uso indiscriminado de substâncias químicas na indústria e na agricultura, sem contar os maus hábitos alimentares que vimos adquirindo ao longo dos anos, como alimentação rica em gorduras e açúcares e pobre em nutrientes, os vícios, como cigarro, álcool e drogas, e os sentimentos prejudiciais, como angústia, raiva e medo, que acompanham o dia-a-dia de todos que vivem nas grandes cidades.

Nosso organismo vai paulatinamente sendo destruído. 

O corpo avisa quando as coisas não vão bem, mas estamos perdendo a capacidade de escutá-lo. Por exemplo, quando estamos dispersos, com dificuldade em manter a atenção, em vez de aumentar as horas de sono para dar ao corpo mais descanso e a possibilidade de recuperar-se, "curamos" a desatenção com café e estimulantes, que sobrecarregam ainda mais o organismo, em alguns casos já sem forças. 

Algumas acordam sempre atrasadas, tomam um cafezinho correndo, saem de casa esbravejando porque perderam a hora e ficam horas em jejum até que, no meio da tarde, pedem um lanche por telefone e "almoçam" correndo, em cima da mesa de trabalho. Depois, ficam sem comer até tarde da noite, quando chegam em casa morrendo de fome e "atacam" o que encontrarem pela frente. Essas pessoas também costumam ter contato com poluição ambiental, ficar nervosas, estressadas e, como se não bastasse, a maioria delas fuma quase um maço de cigarros por dia — tudo sem sair da frente do computador. E à noite, quando vão se deitar, não conseguem ter uma boa noite de sono, pois comeram muito e, pior, tarde da noite! 

Pessoas assim são aventureiras. Sabe por que? Porque promovem verdadeiros ataques a seus intestinos, pulmões, vias urinárias, pele... Seu organismo tem uma capacidade reduzida de funcionamento, manifestando uma condição de vida precária... De tão agredido, o organismo já não é capaz de se recuperar. Suas vias de excreção das impurezas estão bloqueadas, a renovação e a oxigenação celular estão prejudicadas, o fígado está sobrecarregado, o sistema imunológico está enfraquecido... Mas a produção de radicais livres está ótima! Eles aumentam, comprometendo sistemas funcionais múltiplos e acidificando o sangue, entre outros prejuízos à saúde.

Um conselho: respeite seu corpo, sua saúde, sua vida. Primeiro, faça uma lista de seus hábitos alimentares. Depois, descarte os excessos e passe a gerenciar tudo o que você coloca para dentro do seu corpo. Opte por uma alimentação natural, à rica em frutas frescas, folhas e legumes, cereais integrais, e pobre em gordura, carne vermelha, açúcar e alimentos industrialmente processados. Diga não a vícios, como alcoolismo e tabagismo. E mexa-se! Com apenas 30 minutos diários você conquista um dia inteiro de bem-estar! Se você quer realmente viver mais e melhor, faça mais do que promessas de final de ano.  


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas:


Compartilhe:



14/08/2014 às 08h04m


Resgatando a feminilidade

Cada vez mais as mulheres estão abandonando os afazeres domésticos para assumir postos no mercado de trabalho.

De acordo com pesquisa realizada em 2005 pelo Grupo Catho, nos últimos dez anos, a participação feminina no mercado de trabalho brasileiro dobrou, revelando os seguintes percentuais de "ocupação" feminina nas empresas: 

- presidência: 17,5%
- diretoria: 23%
- gerência: 26%
- chefia e coordenação: 49

O avanço das mulheres no mercado de trabalho é marcado, principalmente, pela onda de mudança que o mundo está atravessando, onde habilidades mais femininas que masculinas têm sido fator determinante para a permanência de muitas empresas no mercado. Hoje, a agressividade e a objetividade – características notadamente masculinas – estão cedendo terreno para a intuição e a capacidade de adaptação, traços marcantes no perfil feminino.

As mulheres estão descobrindo seus. Não precisam mais se espelhar na atuação masculina para provar sua competência. Agora, são os homens que estão buscando adquirir as qualidades femininas tão procuradas pelo mundo corporativo, como a habilidade de cultivar bons e produtivos relacionamentos, por exemplo. Além disso, as mulheres são mais flexíveis que os homens e se adaptam com mais facilidade e mais rapidamente que eles, o que é fundamental para um mundo em constante mudança.

O estilo feminino, aliado ao esforço, força de vontade e determinação das mulheres em colocar em prática sua competência, tem sido reconhecido e recompensado pelas empresas, que apostam nessa nova força de trabalho. 

Um importante ponto positivo do estilo feminino é a capacidade de trabalhar com o lado direito do cérebro, mais emotivo, intuitivo, criativo. E como, durante muito tempo, tiveram de agir à semelhança dos homens para conquistar seu espaço, as mulheres acabaram desenvolvendo também a utilização do hemisfério cerebral esquerdo. Com isso, saíram ganhando! Agora, é a vez dos homens correrem atrás do prejuízo e buscar meios para desenvolver o hemisfério direito. Recursos para isso não faltam. Vários de meus cursos têm essa abordagem. 

Entretanto, ainda restam alguns pontos importantes a serem conquistados pelas mulheres com relação ao universo corporativo. O principal é que ainda existe um preconceito não-declarado em relação às mulheres. Prova disso é que elas ganham cerca de 10% menos que os homens nas mesmas funções. O mercado tem algumas justificativas para isso, mas as principais são: 1) a mulher é uma mão-de-obra nova e ainda é preciso descobrir seu potencial; 2) semanalmente, elas trabalham cerca de três horas menos que os homens.

Um importante aspecto negativo em relação à participação das mulheres no mercado de trabalho, levantado pela pesquisa do Grupo Catho, é que a porcentagem de mulheres nas empresas diminui conforme o tamanho da empresa aumenta. Mas, mesmo assim, o panorama da participação feminina no mercado de trabalho é promissor. Estima-se que daqui a 20 anos, quase 50% dos cargos de presidência nas empresas serão ocupados por mulheres! 

Como tudo na vida tende a encontrar um ponto de equilíbrio, também o mundo corporativo encontrará o seu, equilibrando homens e mulheres em cargos e rendimentos. Afinal, nada mais produtivo que dispor harmonicamente de duas frentes de trabalho tão distintas e, ao mesmo tempo, tão complementares. 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas:


Compartilhe:



07/08/2014 às 08h20m


Feedback – Uma ferramenta para quem busca o sucesso

A tradução literal de feedback é "retro-alimentação". Em Cibernética, disciplina que estuda sistemas autônomos, retro-alimentação ou realimentação é a informação que sai de um sistema para se tornar fonte de alimentação do próximo "comportamento" do sistema, e pode ser positivo ou negativo.

Ciberneticamente falando, o feedback positivo ocorre quando, aumentando-se um sistema, aumenta-se o outro; ou diminuindo-se um sistema, diminui-se o outro. Ex.: O poder de um líder, uma vez diminuído, torna-se cada vez menor. — A situação é negativa, mas o feedback  é positivo!

O feedback negativo, por sua vez, ocorre quando, aumentando-se um sistema, diminui-se o outro e vice-versa. Ex.: Menos insatisfação no ambiente de trabalho, mais produtividade dos colaboradores.  — A situação é positiva, mas o feedback é negativo!

Há ainda o feedback antecipado, ou realimentação antecipada, que é gerado por uma informação que não provém do sistema, mas é uma antecipação do que pode vir a acontecer, e as chances de que aconteça são proporcionais à quantidade de pessoas que acreditarem no que estiver sendo "antecipado". Ex.: Se todos pensarem que a Bolsa de Valores irá subir, ela certamente subirá; se todos pensarem que vai despencar, ela despencará... — A situação pode ser positiva ou negativa, dependendo do que for antecipado.

A importância do feedback para o nosso crescimento e desenvolvimento em todos os aspectos da vida corresponde à importância de saber se estamos agradando ou não, se estamos fazendo a coisa certa ou a errada, se podemos continuar naquele caminho ou se temos de procurar outro... 

Sempre que determinamos um objetivo e agimos para que ele se concretize, precisamos buscar informações sobre os resultados que estamos obtendo para podermos ajustar nosso comportamento de forma a garantir que o objetivo seja atingido. Essas "informações" que buscamos são chamadas de feedback.

Portanto, quem almeja o sucesso deve considerar a possibilidade de adotar o feedback como ferramenta para medir o seu progresso, uma vez que, durante o caminho, pode ser muito fácil – e até mesmo tentador – perder o rumo. 

Precisamos de feedback porque, para crescer e nos desenvolver, precisamos, acima de tudo, interagir com outras pessoas e com o Universo, trocando experiências e ensinamentos. Tão importante quanto estar atento à receber feedback é contribuir com o crescimento do outro, fornecendo-lhe também feedback. Entretanto, não é tão simples utilizar essa ferramenta.

Alguns cuidados devem ser tomados quando damos ou recebemos feedback, a fim de preservar os recursos desse poderoso e precioso fluxo de comunicação e de aprendizado entre as pessoas. Um feedback mal dado pode ser facilmente confundido com a crítica, que estimula sentimentos como constrangimento, culpa, impotência e, até mesmo, injustiça. Por isso, honestidade e sinceridade são ingredientes fundamentais para que o feedback atinja seus propósitos. E isso é exigido tanto de quem dá quanto de quem recebe o feedback. 

Para um feedback produtivo, também é preciso verificar a sua aplicabilidade, certificando-se de que a pessoa que o receberá terá condições de rever a situação em questão e evoluir para uma mais favorável ou adequada. 

Sempre que possível, o feedback deve ser mais descritivo que avaliativo, evitando suposições, principalmente em relação ao comportamento usual da pessoa que o estiver recebendo, e deve ater-se à descrição das mudanças necessárias para a ação em questão. 

Procure fornecer o feedback logo após a ação que necessita de retorno, pois será mais fácil para quem o estiver recebendo promover as adequações necessárias, tornando o aprendizado ainda mais eficaz. E dê o feedback sempre diretamente, nunca por intermédio de terceiros.

Quando oferecido com respeito, o feedback é um verdadeiro presente. 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: sucesso - feedback - ferramenta


Compartilhe:



Perfil

Palestrante internacional, ex-diretor da Merck Sharp & Dohme e da Ciba-Geigy Corporation, nos Estados Unidos, e autor de vários livros que se tornaram best-sellers no Brasil e em países da América Latina e da Europa. Médico cardiologista, viveu 17 anos nos Estados Unidos, onde realizou treinamentos e pesquisas na Harvard Unversity, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University.
Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: