24/09/2015 às 10h34m


TIPOS DE LINGUAGEM

Tudo o que foi codificado em sua mente durante a infância ou a adolescência pode ser modificado pela linguagem. Tanto os conceitos quanto os preconceitos sobre os mais variados assuntos, tudo pode mudar!

Há um tipo de lin¬guagem que gera ação e outro que não gera ação.

Se você disser que a sala está quente, por exemplo, isso não modifica em nada a condição da sala. Se ela estava quente, continuará quente. Já, se você pedir para alguém abrir a janela, pois a sala está quente, poderá haver alguma alteração, não é mesmo? Você não apenas dirá alguma coisa, como fará uma soli¬ci¬ta¬ção. 

Solicitação é um tipo de linguagem que gera ação. E declaração também. 

A declaração é um tipo de linguagem que gera ação, mas é preciso ter autoridade para utilizá-la. Se um homem e uma mulher comparecem diante de mim para se casar, eu os mandaria procurar um juiz, pois eu não tenho autoridade para isso. Um juiz, porém, pode declará-los marido e mulher. E mesmo que no minuto seguinte à declaração do juiz um deles diga que mudou de idéia, a declaração feita pelo juiz já terá mudado a realidade jurídica daquelas duas pessoas: elas, agora, são marido e mulher. E para mudar essa condição, só mesmo uma nova declaração do juiz em um processo de divórcio.

A declaração cria realidade. 

Eu lhe pergunto agora: quem tem mais autoridade sobre você? Você. Quando você tinha 5 anos, eram seus pais. Mas hoje é você.

Imagine que você tem 5 anos de idade e um indivíduo, que tem duas vezes o seu tamanho e cinco vezes o seu peso, aproxima-se e diz que você é estúpido. Se você não fosse estúpido, ficaria na hora!

Mas o que é, nesse exemplo, "ser estúpido"? É lingua¬gem. Então, se é linguagem, isso pode ser recriado aqui e agora. 

Hoje, você tem autoridade para declarar o que você é. E o que você declarar é o que passará a ser a sua realidade. Você pode fazer declarações com relação àqui¬lo que você quer ser ou gostaria de ser. Comece logo. 

Faça pelo menos cinco declarações que con¬sidere as mais importantes. Vou lhe dar algumas di¬cas, que você pode aproveitar, mas pense também em outras.

— Eu declaro que sou inteligente.
— Eu declaro que sou próspero.
— Eu declaro que sou a força criadora da minha vida.
— Eu declaro que sou livre.
— Eu declaro que sou sincero comigo mesmo.
— Eu declaro que sou sadio.

Com as suas declarações, você cria o ser, que vai levá-lo a fazer a ação correspondente e, em conseqüência, o levará a ter o resultado da sua ação.

Primeiro você é, depois você faz, depois você tem. 

As pessoas costumam dizer: "Ah, se eu tivesse dinheiro, faria o que os ricos fazem". 

Não é esse o caminho. As coisas funcionam assim:

1º. Você declara que é próspero. 
2º. Você passa a fazer o que as pessoas prósperas fazem. 
3º. Você tem prosperidade. 

O segredo está na ordem das coisas. Não é ter-fazer-ser, como a maioria das pessoas pensa, mas ser-fazer-ter. Lembre-se disso.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: linguagem - tipos - motivação


Compartilhe:



18/09/2015 às 10h49m


A FORÇA DO INCONSCIENTE

Quando melhora o seu ponto de vista sobre as pessoas, você melhora a sua auto-estima. E isso só é possível quando você aprende a trabalhar com o hemisfério direito do seu cérebro.

Existem, na literatura, diversos relatos sobre pessoas que adquirem força sobre-humana em momentos de extrema dificuldade. Um caso famoso é o da mulher que trocava o pneu de uma picape quando o macaco escorregou e seu filho de 4 anos, que havia saído do carro sem que ela percebesse, ficou preso embaixo da carroceria. Ela levantou a picape, que pesava uma tonelada e meia, e conseguiu libertar seu filho. Sabe de onde veio a força dessa mulher? Veio do seu inconsciente.

Mudanças
Sempre há tempo e condições para mudar, e quem cria as condições para isso é você. A menos, é claro, que você esteja gostando muito da sua vida, que esteja se sentindo completamente feliz e satisfeito com o que é hoje, ou que já tenha conquistado tudo o que sonhou e esteja desfrutando disso.

Concentração de esforços
Você não consegue acender um cigarro colocando-o apenas contra a luz solar; mas, se usar uma lente convergente, você consegue acendê-lo, pois toda a energia solar fica concentrada em um único ponto.  

A mesma coisa acontece com a sua mente. Se você pega a sua energia mental e a divide entre o passado e o futuro, sobra muito pouca coisa para o presente. E a vida acontece nesse momento, aqui e agora. O passado já passou e o futuro não chegou.

O segredo da vida está no aqui e agora. Você sempre acorda hoje. Sempre hoje. Você nunca acordou amanhã, não é mesmo? Tudo é aqui e agora.

Há pessoas que se es¬condem no passado e há as que se escondem no futuro, mas essa história de passado e futuro é, na maioria das vezes, desculpa para não viver o presente.

Somos animais lingüísticos
À medida que melhoramos nossa auto-estima, melhoramos o nosso presente e, conseqüentemente, o passado. E vice-versa. 

O passado é uma experiência que foi codificada lingüisticamente. E a linguagem é o que nos diferencia dos outros seres e nos faz humanos. Por meio da linguagem, codificamos as crenças em nossas vidas. Tudo o que pensamos e vivemos em relação a saúde, dinheiro ou sexo, por exemplo, é fruto dessa codificação lingüística.

Quem tem uma codificação, por exemplo, de que o sexo é sujo, vive incomodado por um sentimento de culpa. A criança de 6 anos de idade ouve um adulto dizendo que "é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar para o reino dos céus" vai crescer achando que é melhor ser pobre. E as pessoas que têm medo do sucesso, que vivem dizendo: "Ah, tudo o que sobe desce! Eu tinha um vizinho que vivia tão bem, de repente perdeu tudo. Prefiro ser como sou.", são pessoas que carregam consigo, pela vida inteira, um inútil sentimento de culpa.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: força - inconsciente - motivação


Compartilhe:



10/09/2015 às 09h30m


A SÍNDROME DO "QUANDO"

A maioria das pessoas diz assim: "Quando eu me sentir bem comigo mesma eu vou fazer isso, vou fazer aquilo etc". 

O caminho não é esse. Comece logo a fazer que o sentimento aparece. Ao começar a fazer, as coisas começam a mudar dentro e fora de você. 

Intenção sem ação só tem um nome: ilusão. Ouse fazer e o poder lhe será dado.

Vivemos num mundo de ilusões. Pensamos que os órgãos dos sentidos nos mostram a realidade mas, na verdade, eles nos enganam. 

Quanta ilusão!!!

Ilusão dos sentidos
• Pensamos que a Terra está parada quando, na verdade, ela gira a uma velocidade incrível. 
• Temos a sensação de que a Terra é chata, quando, na verdade, ela é redonda. 
• O Sol parece girar em torno da Terra, quando o que acontece  é o contrário.
Se nos iludimos com coisas em proporções gigantescas, como a Terra e o Sol, imagine com as sutilezas do cotidiano! Muitas vezes, pensamos que as coisas são como as vemos, mas  isso acontece porque uma mes¬ma realidade pode ser vista de diferentes modos, dependendo do que cada um traz dentro de si. 

Ilusão do pensamento
Esse tipo de ilusão nos leva a pensar que as coisas são como são e que nada as pode modificar. Devagar. Não tenha tanta certeza disso. Pessoas e coisas se modificam, inclusive você. Hoje, você certamente é uma pessoa bem diferente do que era há cinco ou dez anos e, em conseqüência, mudaram seus pontos de vista. 
Se mantiver pensando dessa forma, o principal prejudicado será você.
É correto dizer "uma vez balconista, sempre balconista", à jovem empresária que acabou de abrir a sua própria loja de perfumes? As pessoas mudam. Elas vão incorporando novos atributos ao longo da vida. A dona da loja, que já foi balconista, deve ter sido, antes, estudante, telefonista, estagiária, e muitas outras coisas.
Você, provavelmente, foi estudante, praticou algum tipo de esporte, teve mais de um hobby, seguiu mais de uma carreira profissional... Enfim, você já fez algumas coisas diferentes na vida. Você acha correto que as pessoas julguem que você é apenas uma das coisas que já fez? Claro que não!

Esta leitura é mais uma das incorporações positivas na sua vida. Então, cuidado, porque o que sempre é não é tudo o que é.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: síndrome - quando - motivação


Compartilhe:



03/09/2015 às 09h22m


CONDICIONAMENTOS

Treinamento de pulgas
Sabe como se treina uma pulga? Feche-a dentro de um vidro e feche-o. A pulga não gosta de ficar presa e começa a pular. Ela pula, bate na tampa do vidro e volta. Ela vai fazer isso várias vezes, até que seu cérebro chega à conclusão de que não adianta. Então, ela começa a pular mais baixo, sem bater na tampa. Depois que isso acontece, você pode tirar a tampa do vidro que a pulga nunca mais vai pular para fora. O cérebro dela ficou condicionado à existência da tampa e ela não identificará mais a sua ausência.

Treinamento de elefantes
O treinador pega o elefante, quando filhote, passa uma corda no pescoço dele e o amarra a uma árvore. O elefantinho tenta sair, mas a árvore é pesada, forte, e ele não consegue. Depois de várias tentativas, ele desiste. Aí ele cresce, vai para o circo, e o palhaço, para prendê-lo, só tem de amarrá-lo à perna de um tamborete. O elefante continuará sempre pensando que está amarrado em uma árvore.

Não somos pulgas nem elefantes, mas também temos uma série de condicionamentos. Mas, geralmente, não nos damos conta disso. 

As limitações e a programação negativa
Por que será que temos tanta dificuldade para nos comportar em nosso próprio benefício? 

O 99% do poder da mente humana está concentrado no inconsciente. Mas toda a nossa educação costuma explorar apenas o consciente. Não nos ensinam a trabalhar com o inconsciente, cuja porta de acesso é o hemisfério direito do cérebro.

As limitações que vivemos decorrem da programação negativa instalada em nós durante a infância, e também do uso limitado que fazemos do nosso cérebro. Todos temos dentro de nós um "termostato" que determina o nosso valor. Aliás, todos temos escrito na testa, com tinta invisível, o quanto valemos. Quando aumenta o seu termostato, você aumenta o valor que acha que tem e, em conseqüência, aumenta o que o mundo vai entregar para você.

Quem determina o seu termostato ou o seu valor pessoal, é você. E essa temperatura interna não tem nada a ver com a temperatura externa. Se o seu termostato interno diz, por exemplo, que você vale meio milhão de dólares, isso é o que o mundo tende a entregar para você, independentemente da crise econômica, da situação do país, da conjuntura mundial etc. 

O que vale é a sua estrutura interna. O mundo é um reflexo do seu interior.

Para acompanhar a evolução do mundo, você precisa usar o seu cérebro de modo diferente do habitual. Se você tiver sucesso dentro do seu cérebro, o sucesso virá. Se você tiver amor, vai receber amor. 

No momento em que você muda suas crenças e seus valores, o mundo muda para você num estalar de dedos.

William James, um dos grandes filósofos e psicólogos americanos, disse: "Até agora pensava-se que, para agir, era preciso sentir. Hoje, sabe-se que, se começarmos a agir, o sentimento aparece.". E concluiu: "O passarinho não canta porque está feliz, ele está feliz porque canta". 

Ainda que esteja deprimido, se você começar a agir de um jeito feliz, você passará a se sentir feliz e, então, será feliz. 

O comportamento muda o sentimento e este muda o pensamento.

Seguindo esse raciocínio, você pode não estar recodificando diretamente as crenças negativas instaladas no seu cérebro. Mas estará diminuindo o peso delas na sua vida e, ainda, estará exercitando a forma correta de instalar crenças positivas no seu cérebro.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: condicionamento - comportamento - reflexo


Compartilhe:



Perfil

Palestrante internacional, ex-diretor da Merck Sharp & Dohme e da Ciba-Geigy Corporation, nos Estados Unidos, e autor de vários livros que se tornaram best-sellers no Brasil e em países da América Latina e da Europa. Médico cardiologista, viveu 17 anos nos Estados Unidos, onde realizou treinamentos e pesquisas na Harvard Unversity, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University.
Webpage: www.lairribeiro.com.br
e-mail: lrsintonia@terra.com.br
Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: