27/11/2014 às 08h51m - Atualizado 27/11/2014 às 09h42m


Ginástica cerebral: você a pratica?

Atreladas à correria da vida moderna, muitas pessoas sentem-se estafadas, sem ânimo para enfrentar o dia-a-dia. A todo instante são colocadas à prova. Exauridas, muitas chegam à velhice sem ânimo para aproveitar o que a vida tem a oferecer. Aí, adoecem, tornam-se dependentes de seus familiares e sentem que tudo foi em vão. 

Mas ninguém precisa ficar preso a uma história como essa. Basta cuidar mais da mente: mantendo o cérebro ativo, garantimos mais saúde, energia e serenidade. Mas, para colher esses frutos, é preciso plantá-los! E quanto antes, melhor! 

Se, por um lado, distúrbios de memória vêm atingindo cada vez mais pessoas entre 25 e 50 anos de idade, por outro, têm sido cada vez mais freqüentes os casos de idosos com mal de Alzheimer, uma demência relacionada ao aumento da expectativa de vida. Tanto o primeiro quanto o segundo caso afetam em muito a qualidade de vida das pessoas atingidas, prejudicando desde o desempenho profissional, passando pelo sexual, por problemas de relacionamento e atingindo até mesmo sua saúde física, por causa do enorme desgaste emocional. 

O cérebro é como um músculo. Mas, diferentemente dos músculos que dão sustentação ao corpo e que podem ser trabalhados repetida e exaustivamente na academia, o cérebro precisa de desafios, de novidades. Veja o que pode ser feito:

Ler
A leitura ativa inúmeras áreas importantes do cérebro, uma vez que para decifrar uma frase, os neurônios terão de resgatar as regras gramaticais aprendidas há muito tempo; para prosseguir com a leitura, a memória terá de armazenar o conteúdo já lido; e para compreender o texto todo, terá de haver um resgate na memória de todo o conhecimento básico adquirido ao longo da vida... 

Propôr-se desafios
Desafios é um bom exercício para o cérebro. Não precisa ser radical, basta tentar fazer um novo caminho para ir ao trabalho ou se propor a realizar uma tarefa com a qual você não tem familiaridade. Se você for metódico, faça algo criativo; se for criativo, faça algo que peça disciplina e regularidade... 

Ter objetivos
Tenha objetivos bem definidos. Se você não sabe onde deseja estar, não vai saber quando conseguirá chegar lá! Então, planeje sua vida. Defina metas e trace planos de ação. 

Conversar
Durante uma boa conversa, você desenvolve não só a sua habilidade de comunicar-se com outras pessoas, como também a sua capacidade de organizar pensamentos e idéias, argumentar, convencer, escutar, prestar atenção, debater e criticar, tudo de forma lógica e sempre respeitando a opinião do outro. 

Envolver-se
Estatísticas mostram que, apenas ouvindo, retemos até 20% do que nos é ensinado, e apenas olhando, retemos até 30%. Se ouvirmos e olharmos, podemos reter até mais de 50% das novas informações, e se nos envolvermos, nossa capacidade de memorização vai para 70%. Agora, se tentarmos fazer o que nos estiver sendo ensinado, a capacidade de assimilação pode chegar a 95%.

Criar conexões
Crie conexões entre as novas informações e o conhecimento já adquirido. Como professores de cursos pré-vestibular, você pode organizar as informações de modo a criar rimas ou pode organizar das informações a serem memorizadas em ordem alfabética. 

Os vilões do esquecimento
- Dormir pouco
- Vida sedentária
- Emoções negativas
- Tabagismo
- Alcoolismo
- Outras drogas

Só adquirindo hábitos de vida saudáveis é possível preservar a mente e mantê-la afiada durante muitos anos. Depende de você e do que você quiser para o futuro. 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: ginástica cerebral - leitura - treino


Compartilhe:



20/11/2014 às 08h07m


O poder da escrita

Uma das contribuições dos sumérios para o desenvolvimento da Humanidade foi o seu sistema de escrita: uma série de pictogramas (pequenos desenhos) faziam referência aos conceitos que pretendiam ser transmitidos. Daí se desenvolveu o conceito de ideograma, seguido pelo uso de sinais arbitrários para palavras e elementos fonéticos ou de símbolos que representavam o som de uma palavra ou de parte dela. Na China, os ideogramas proliferaram e foram padronizados. Em outras civilizações, os sinais fonéticos foram os únicos mantidos, a exemplo dos fenícios , que desde 1000 a.C. davam forma ao alfabeto que usamos hoje.

Desde então, a escrita vem sendo associada a civilização. A invenção, que convertia a palavra falada e tornava-a fixa e transmissível ao longo das gerações, era uma importante ferramenta, principalmente, para a árdua tarefa de administração dos Estados civilizados. A partir da escrita, o homem pôde organizar-se social e culturalmente. E foi além, pois, por meio da escrita, pôde criar e perpetuar sua identidade e deixar registrada na História a sua passagem.

Incorporada à existência do homem, a escrita nunca se tornou obsoleta. Ao contrário, torna-se cada vez mais importante para manter viva a essência humana. 

Hoje, com o uso de celulares, notebooks, câmeras fotográficas digitais e internet, entre outros aparatos modernos, as distâncias se encurtarem e o tempo tem ficado mais escasso. Hoje, trabalha-se mais e vive-se menos, mas não em anos de vida, pois estes aumentaram. Atualmente, pessoas com 80, 90 e até 100 anos de idade caminham pelas ruas das grandes metrópoles; mas, meio século atrás, um indivíduo com 50 ou 60 anos de idade era considerado velho. 

Uma epidemia do mundo moderno é o estresse, cujos principais sintomas são fadiga e falta de memória. É cada vez mais freqüente encontrar pessoas entre 25 e 50 anos com lapsos de memória. Ao contrário do que muitos pensam, essas falhas nem sempre têm origem patológica. Distração, ansiedade, estresse, depressão e até mesmo bloqueios emocionais podem desencadear lapsos de memória. 

A memória divide-se em antiga e recente. A primeira é relacionada ao processo de aprendizagem, e a segunda, também chamada "memória de trabalho", é ocupada por fatos do cotidiano, pouco relevantes para serem armazenados definitivamente. É importante saber que essa memória tem capacidade limitada; portanto, é preciso administrar bem o que é colocado nela para não sobrecarregá-la. 

Apesar dos esforços da ciência, a melhor maneira de manter a memória afiada é a prevenção. Um dos recursos que podem e devem ser utilizados é a milenar técnica da escrita. 

Escreva! Deixe tudo registrado. Tenha uma agenda. Anote todos os seus compromissos e tarefas diárias.  Você aliviará cérebro e se sentirá revigorado, pronto para assumir as tarefas mais importantes com eficácia e destreza.

Escrevendo, você também aprende a definir suas metas, traçar planos de ação e atingir seus objetivos. A partir do momento que você registra algo, seu cérebro se compromete e passa a atuar em prol da realização daquilo que foi registrado. Ao escrever um diário, por exemplo, você terá uma importante ferramenta para fazer follow-up e verificar se está agindo no sentido certo ou se é preciso mudar alguma coisa. Colocar no papel a sua reação depois de conquistar um objetivo desejado também é um excelente meio de induzir o cérebro a buscar a repetição desse momento. Da mesma forma, extravasar, por meio da escrita, sentimentos como ódio, raiva, medo e rancor libera mente e coração de sensações ruins e prejudiciais. Portanto, escreva! 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br.


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: escrita - registro - identidade humana


Compartilhe:



13/11/2014 às 07h58m


Sorrir ainda é um dos melhores remédios

Há séculos, diferentes correntes filosóficas conhecem a importância do riso e praticam-no. Sabe-se que no antigo império chinês, há mais de 4.000 anos, havia templos em que as pessoas se reuniam para rir, a fim de equilibrar a saúde; na Índia também existiam templos sagrados nos quais se praticava o riso. Há indícios de que Hipócrates, no século 4 a.C., já utilizava a risoterapia para a cura de seus pacientes, por meio de jogos e brincadeiras. A verdade é que o riso provoca uma série de alterações fisiológicas no corpo humano, regulando os níveis hormonais, entre eles, a liberação de endorfinas, hormônio associado à sensação de bem-estar, além de aumentar a atividade imunológica e retardar o envelhecimento.

Mas não é só isso. De acordo com pesquisa de uma universidade norte-americana, o ato de rir expande as artérias, favorecendo a circulação sangüínea. Os pesquisadores constataram que o impacto de assistir a um filme engraçado equivale a uma sessão de exercícios aeróbicos. Assistir a filmes de guerra, por sua vez, reproduz reações que se tem em momentos de raiva, pois as imagens violentas induzem ao estresse mental que, por conseqüência, contrai as artérias e tensiona os músculos do corpo.

Pesquisadores do Instituto Garvan, de Sidney, na Austrália, descobriram que, durante períodos de estresse, nervosismo ou ansiedade, os nervos produzem grandes quantidades do neuropepitídeo Y (NPY), que, quando liberado no sistema sanguíneo, inibe as células do sistema imunológico encarregadas de destruir os agentes patogênicos (causadores das doenças) do corpo humano. 

Além disso, em estados de tensão, toda a musculatura do rosto é involuntariamente contraída, resultando o aparecimento de rugas e acelerando o processo de degeneração na pele, ao passo que uma boa risada melhora a tonicidade da cútis, diminui a tendência à flacidez da derme e promove a vascularização e a oxigenação da pele, deixando-a nutrida e com uma aparência jovial. 

Rir funciona, mas é preciso praticar com afinco. Para se beneficiar das propriedades terapêuticas que uma boa risada pode proporcionar, a primeira coisa a ser feita e reprogramar-se, substituindo os pensamentos negativos por outros positivos, alegres e confiantes. 

Pessimismo leva ao estresse e à depressão. Pessoas pessimistas costumam sucumbir ante pensamentos negativos, e isso faz com que vivam o tempo todo ansiosas e angustiadas, sabotando suas próprias metas e reduzindo sua auto-estima e autoconfiança.

Adote um estilo de vida mais leve, em todos os sentidos. Desde a alimentação até os compromissos marcados em sua agenda. Eleja prioridades. Torne o seu dia mais feliz. 

Se você se levanta da cama pela manhã achando que o seu dia será péssimo, certamente seu cérebro registrará essa informação — a primeira do dia — e contribuirá para torná-lo realmente péssimo. Mas se você acorda com um sorriso e sai da cama confiante de que seu dia será produtivo e que terá êxito em suas realizações, as chances de que isso aconteça são muito maiores.

Não há caminho sem pedras, mas as pedras no caminho podem perfeitamente ser diamantes. Já pensou nisso? Mesmo que tropecemos nelas, podemos nos levantar do tombo mais fortes do que quando caímos! 

Permitindo-se sorrir, mesmo nos momentos mais difíceis, você estará ativando forças poderosas, que sinalizam para o seu corpo que a sua mente está serena. Isso o conduz em direção ao equilíbrio físico e mental e, nesse equilíbrio, encontra-se a chave para a solução da maioria dos problemas que o afligem. Portanto, sorria!


e-mail: lrsintonia@terra.com

Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: sorrir - remédio - saúde - lair ribeiro


Compartilhe:



06/11/2014 às 07h39m


Homens & Mulheres no ambiente de trabalho — Celebrando as diferenças!

Durante muito tempo as relações entre homens e mulheres no ambiente de trabalham eram, no mínimo, hostis. Até hoje, muitas mulheres ainda recebem salários inferiores aos de homens que ocupam o mesmo cargo e reclamam do modo como são tratadas. Muitos homens, porém, garantem que não há preconceito contra a mulher mundo coorporativo e que, quando incidentes dessa natureza acontecem, não raro são provocados pelas próprias mulheres, que apelam para o estigma do ""sexo frágil" em um cenário em que, agora, o que vale é a competência!

Os tempos de desconfiança e falta de respeito tendem, cada vez mais a ficar no passado. Hoje, empresas têm estimulado seus funcionários, homens e mulheres, a aprenderem com os benefícios que a diversidade pode proporcionar ao funcionamento do negócio, seja ele qual for. 

O homem e a mulher têm características distintas, que, se utilizadas em conjunto, tornam-se armas muito mais potentes e eficazes do que se empregadas isoladamente, principalmente no que se refere ao caótico e competitivo mercado de trabalho. A mulher, por exemplo, é capaz de executar várias tarefas ao mesmo tempo e ainda se manter "antenada" no que ocorre ao seu redor. Se ouvir um colega do outro lado da sala dizer algo que lhe interessa, pode apostar que fará algum comentário, mesmo estando com a atenção comprometida com duas ou três atividades simultâneas. Enquanto isso, o homem trabalha com toda sua atenção focada em uma única tarefa, e ai daquele que o interromper.

A mulher, no seu papel de cuidar da segurança dos filhos, desenvolveu uma percepção aguçada para identificar alterações mínimas na aparência e no comportamento de outras pessoas, além de primar pela excelência nos resultados, pois, possuindo visão periférica, ela capta detalhes quase imperceptíveis ao homem, cuja visão é de longo alcance, porém tubular. 

Para mostrar as diferenças entre homens e mulheres no ambiente de trabalho, podemos compará-los a computadores. A mulher é um modelo de última geração: multitarefas, com uma enorme capacidade de armazenamento de dados e memória otimizada, o que dá mais agilidade ao seu desempenho que, por natureza, já é ágil. O homem, por sua vez, só não é "monotarefa" porque não existe computador com tal especificação, mas é um modelo da primeira ou da segunda geração de máquinas, que costuma travar quando se tenta fazer duas coisas simultaneamente.

Características femininas, como falar muito ou ser mais sensível e levar tudo para o lado pessoal, faz alguns colegas se sentirem incomodados, principalmente se a conversa ultrapassar as fronteiras do negócio e for para o lado pessoal. Isso ocorre porque o homem usa a fala para comunicar fatos, enquanto as mulheres falam para se relacionar. 

Os homens mantêm mais o foco em seus objetivos, são mais fechados e se atêm mais aos fatos, fazendo pouco uso de sua sensibilidade e intuição. Já a sensibilidade feminina ajuda a humanizar as relações de trabalho. Ainda assim, muitas mulheres se chateiam porque seus colegas as vêem primeiro como mulher e, depois, como profissional. Bem, isso é um fato! Não se pretende que o homem deixe de ver uma mulher ao olhar para uma ou vice-versa. Se a primeira coisa que enxergamos no outro é a aparência, não há porque pretender que colegas de trabalho ignorem isso. O homem e a mulher sempre se verão como realmente são, e a atração entre eles continuará a existir, seja em que ambiente for. O importante é que não se esqueçam da sinergia que poderão obter atuando em conjunto, pois, como suas características são complementares, sua produtividade, certamente, será maior trabalhando em parceria do que isoladamente. 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: ambiente de trabalho - homens - mulheres - diferenças


Compartilhe:



Perfil

Palestrante internacional, ex-diretor da Merck Sharp & Dohme e da Ciba-Geigy Corporation, nos Estados Unidos, e autor de vários livros que se tornaram best-sellers no Brasil e em países da América Latina e da Europa. Médico cardiologista, viveu 17 anos nos Estados Unidos, onde realizou treinamentos e pesquisas na Harvard Unversity, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University.
Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: