28/07/2016 às 08h46m - Atualizado 28/07/2016 às 08h50m


Falar é fácil

Se eu começar este artigo aconselhando-o a não trabalhar por dinheiro, mas a colocar o dinheiro para trabalhar para você, estou certo de que você vai pensar:

— Falar é fácil. Quero ver se quem trabalha para pagar contas no final do mês pensa da mesma forma!

Não. Não pensa da mesma forma. Mas eu penso e você também vai pensar depois que souber como saber viver financeiramente. 

Como tudo o que vale a pena na vida, saber viver financeiramente pode não ser tão fácil quanto falar, mas é muito mais simples do que você imagina.

Dupla abordagem
Para viver bem financeiramente, é preciso abordar o assunto sob dois aspectos distintos, mas complementares e igualmente importantes: o físico e o metafísico.

Vive bem financeiramente quem é próspero. E é próspero quem vive a vida por inteiro, sabendo unir os aspectos físico e metafísico do próprio ser. 

De que adianta você estar em sintonia com as leis superiores que regem o fluxo da abun-dância e da prosperidade no Universo, se você não sabe administrar bens e fartura que chegam às suas mãos? E de que adianta enterrar-se no trabalho, esquecendo-se de si mesmo e da vida ao seu redor, achando que disso virá a fartura e a abundância?

A administração física da riqueza, mesmo que todos tenhamos direito a ela por herança divina, ficará sempre nas mãos de pessoas que tenham habilidade para isso. 

No universo, nada se perde
Assim como viemos ao mundo com a missão de "crescer e multiplicar", toda a riqueza também existe para se expandir e ser, cada vez mais, multiplicada. Nunca para se perder.

Quem acha que conseguirá participar desse pool de administradores da riqueza universal apenas com esforço físico, estabelecerá com a riqueza uma relação muito parecida com aquela que um arquiteto e um ajudante de pedreiro têm com um edifício. O arquiteto será muito mais "dono" da obra que o ajudante de pedreiro. 

Antes de mais nada, é bom que se diga que o edifício não pertence a nenhum dos dois, assim como a riqueza universal não pertence a qualquer um de nós. 

O arquiteto, mesmo que nunca tenha visitado a obra, sabe mais sobre o edifício do que o ajudante de pedreiro. E este, apesar de ficar o dia inteiro no canteiro de obras, muito provavelmente terá dificuldade em responder se o prédio será comercial ou residencial. O alcance da sua participação na obra é limitado ao transporte de carrinhos de cimento de um lado para o outro.

Mas assim como existem arquitetos e "arquitetos", existem ajudantes de pedreiro e "ajudantes de pedreiro". 

Ao projetar um prédio residencial em que as áreas de serviço dos apartamentos não tenham ventilação adequada, o arquiteto demonstra falta de conhecimento sobre a utilização prática do seu trabalho. É bem provável que a esse arquiteto também faltem conhecimentos para viver bem financeiramente. 

Por outro lado, o ajudante de pedreiro que, fazendo o rejunte dos azulejos da área de serviço, comenta sobre a dificuldade que será secar roupa naquele espaço mal ventilado, demonstra um conhecimento que faltou ao arquiteto. É bem provável que, com o pouco que ganha, esse ajudante de pedreiro saiba viver bem financeiramente.Mas o que determina essa sabedoria financeira, que não é determinada pela quantia maior ou menor de dinheiro que alguém ganha, é assunto que continuaremos discutindo nos próximos artigos.



e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: dinheiro - trabalho - motivação - relacionamento


Compartilhe:



21/07/2016 às 08h39m


De que depende a sua produtividade?

Planejamento é fundamental

Um bom planejamento não apenas ajuda na administração de seu tempo e na manutenção de seu foco na meta planejada, como também faz com que você assuma o controle sobre as suas energias e atividades. Entretanto, é preciso saber planejar. Se preparado de maneira inadequada, um plano, necessariamente, produzirá resultados inadequados. 

Comece o seu planejamento pela formação de uma equipe entrosada e confiável, a cujos membros você possa delegar e ter a tranqüilidade de que as tarefas continuarão sendo realizadas com um padrão de qualidade compatível com o seu. Para isso, escolha seus subordinados diretos e permita que eles façam o mesmo.

Aprenda que existe uma grande diferença entre planejamento e preocupação: com um planejamento, você determina as etapas para a execução de suas tarefas e as realiza; preocupando-se, você se ocupa previamente (pré-ocupa) das tarefas que deveria realizar e não as realiza.

Ninguém se mantém produtivo 365 dias por ano, todos os anos. Inclua férias no seu planejamento. E, quando estiver de férias, desligue-se do escritório.

Integrando os seus "eus"

Se você quer eliminar conflitos entre a sua vida pessoal e profissional, assuma de uma vez por todas que uma é extensão da outra. 

Hoje em dia, não é mais possível determinar esses limites. E, a menos que você encare isso com naturalidade, não conseguirá eliminar o conflito e a culpa de estar pensando em trabalho enquanto está com a família e vice-versa.  

Para resolver isso e minimizar um grande fator de estresse do seu dia-a-dia, harmonize a sua finalidade de vida com os seus projetos profissionais, incluindo seus valores pessoais e sonhos no seu planejamento.

Autoridade e liderança

Conheça a extensão da sua autoridade e exerça-a, mas evite confundir autoridade com arrogância. Toda autoridade deve ser exercida com a mesma naturalidade de quem fala o próprio nome. Ou seja: com a naturalidade de quem sabe perfeitamente o que está falando!

Um líder, além da autoridade, também precisa ser uma pessoa capacitada para motivar a sua equipe. Ele deve estar sempre disposto a adiar a sua gratificação subjetiva em favor do grupo. Ou seja, é preciso que ele seja um profissional automotivado, com maturidade suficiente para saber que os elogios devem servir de motivação para o grupo e que a sua motivação deve vir dos resultados.

O saber do líder não deve se limitar ao conhecimento objetivo sobre o seu trabalho ou sobre técnicas motivacionais. O líder deve saber de si. É esse o principal ingrediente da sua segurança e da sua estabilidade emocional que, conseqüentemente, se refletirá no seu relacionamento com o grupo. 

Para ter a colaboração da sua equipe, um líder precisa apreciar sinceramente os esforços e a competência de seus liderados, assim como deve saber recompensar aqueles que lhe dizem a verdade, não importando quão desagradável ela possa ser. E mais: ele precisa ser justo para com todos, mas tem o dever de ser generoso para com os que têm mérito.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: produtividade - planejamento - motivação - liderança


Compartilhe:



15/07/2016 às 09h26m


Tenha mais energia

Uma pessoa saudável é aquela que tem energia em todos os níveis do seu ser. Cada nível energético do nosso corpo pede um tipo de nutrição.

Físico

Do nível físico, é preciso cuidar com uma alimentação saudável, capaz de prover energia de boa qualidade para o funcionamento do seu organismo. O corpo humano precisa de vitaminas, proteínas, carboidratos, gorduras e sais minerais. Se você não souber muito sobre o assunto, procure obter mais informações a respeito para ter condições de atender às necessidades do seu organismo.

Para assegurar a qualidade energética do nível físico, também é preciso exercitar-se. A atividade física regular, orientada de acordo com as condições de saúde do seu organismo e com a sua idade, é fundamental para a sua qualidade de vida.  Exercitando-se, você vive melhor, pensa melhor e se sente melhor.

Mental

Para reenergizar-se mentalmente, relaxe e descanse na medida certa para as necessidades do seu corpo: nem mais nem menos. Descubra o quanto você precisa dormir para sentir-se disposto e revigorado.Parte importante da sua energia mental provém da atividade de seus dois hemisférios cerebrais. Quando as atividades de um se sobrepõem às do outro, acontecem os desequilíbrios.

Exercite mais a sua criatividade para  ativar o lado direito do cérebro, pois o lado esquerdo costuma ser predominante na maioria das pessoas.

Emocional

Uma boa energia emocional decorre da boa relação que você tem consigo mesmo. E isso, em conseqüência, permite que você se relacione bem com as demais pessoas e com a vida, mantendo a boa qualidade da sua energia emocional.

Toda a nossa interação com o mundo que nos cerca depende de como nos sentimos intimamente. Logo, é da maior importância conhecer a qualidade das nossas emoções e lidar com elas construtivamente. Quando reagir negativamente a determinada situação, questione-se a respeito. Busque identificar crenças ou julgamentos existentes por trás da sua reação e cuide da causa para que o efeito negativo não se repita.

Espiritual

Existem inúmeras formas para alimentar a sua energia espiritual: meditação, concentração, visualização ou o uso de mantras são algumas delas. Todas, necessariamente, levam ao mesmo objetivo, que é facilitar a sua conexão com a fonte original (Deus) de toda a energia que existe no Universo, do qual você é parte.

A manutenção do nível energético espiritual pode trazer reflexos positivos e duradouros para todos os outros níveis da sua vida.

Nada é para sempre

Certa vez, um viajante chegou à margem de um rio. Como precisava atravessá-lo e não havia ponte, ele mesmo cortou troncos de árvores e construiu uma balsa. Chegando à outra margem, sentiu-se tão apegado à balsa que não teve coragem de abandoná-la. E, assim, carregando-a nos ombros, iniciou a travessia do bosque. Mas a balsa pesava-lhe sobre os ombros. A balsa, que antes tinha sido uma salvação, agora era um problema.

Muitas vezes, a solução de ontem é o problema de hoje. A idéia brilhante do passado pode ser o entulho do presente que contamina o amanhã. 


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: energia - motivação - mente - corpo


Compartilhe:



07/07/2016 às 09h02m


Etiqueta profissional

Boa aparência é importante, mas não o suficiente para saber viver profissionalmente. As normas de etiqueta profissional devem ser utilizadas do "Olá!"  ao "Até logo". 

A etiqueta profissional não difere em muito da etiqueta que norteia o nosso convívio em sociedade, também conhecida como "boa educação". Portanto, educação, aparência pessoal bem-cuidada, bons modos à mesa e civilidade são premissas básicas. Mas há particularidades que precisam ser conhecidas e respeitadas.

Para os cumprimentos que, em geral, vêm acompanhados de um aperto de mãos, siga estas dicas:
• Se for apresentado a alguém mais importante, espere que a pessoa lhe estenda a mão.
• Se for um homem apresentado a uma mulher, espere que ela lhe estenda a mão.
• O aperto de mãos deve ser sempre curto e firme. 
• Beijo no rosto, só no caso de antigos conhecidos.

Cartões de visita costumam ser trocados no primeiro encontro de negócios, mas sem dobrar a pontinha do cartão! 

Algumas coisas são intoleráveis no campo profissional, como:
• Fofocas, palavrões, mau humor e autopromoção.
• Participar de conversa alheia sem ser convidado (apesar da descontração que possa existir, a hierarquia deve ser sempre respeitada para evitar aborrecimentos futuros).
• Críticar colegas ou a concorrentes, principalmente se estiverem ausentes. 
• Apresentar-se de maneira desleixada: deixar o paletó nas costas da cadeira, andar com o paletó jogado sobre os ombros ou desabotoar o botão do colarinho e baixar o nó da gravata são sinais de desleixo.

A internet já começa a ter regras próprias de etiqueta. Conheça algumas: 
• Seja sempre gentil e educado, pois existem pessoas do outro lado da linha. 
• Cuidado com o que fala, de quem fala e para quem fala. 
• Seja claro e objetivo em seus e-mails; evite o uso excessivo de ícones e abreviaturas.
• Não escreva só em letras maiúsculas. Na internet, isso significa falar alto ou gritar. 
• Padronize sua correspondência eletrônica de acordo com sua correspondência impressa. 
• Respeite direitos autorais do que estiver na rede.

Mas nenhum comportamento, por mais exemplar que seja, é capaz de redimir um profissional que cometa um dos pecados a seguir, que são gravíssimos:
• Faltar com o respeito a clientes, fornecedores, superiores e subordinados.
• Dizer uma coisa e fazer outra.
• Utilizar sua influência para contratar ou promover pessoas de seu relacionamento particular sem que haja a qualificação necessária;
• Assediar alguém sexualmente.
• Praticar ou ser conivente com qualquer tipo de discriminação.
• Utilizar meios desonestos para obter informações sobre a concorrência ou sobre a empresa em que trabalha.
• Participar ou ser conivente com a prática de ganhos ilícitos e/ou negociações fraudulentas.


e-mail: lrsintonia@terra.com.br


Autor: Dr. Lair Ribeiro

Tags relacionadas: etiqueta - profissão - motivação


Compartilhe:



Perfil

Palestrante internacional, ex-diretor da Merck Sharp & Dohme e da Ciba-Geigy Corporation, nos Estados Unidos, e autor de vários livros que se tornaram best-sellers no Brasil e em países da América Latina e da Europa. Médico cardiologista, viveu 17 anos nos Estados Unidos, onde realizou treinamentos e pesquisas na Harvard Unversity, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University.
Webpage: www.lairribeiro.com.br
e-mail: lrsintonia@terra.com.br
Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: