27/07/2017 às 19h57m


Constipação intestinal

Uma das maiores queixas entre os pacientes em um consultório de Nutrição é a Constipação Intestinal, que nada mais é do que aquele intestino preguiçoso que leva dias para funcionar e que quando funciona causa muita dor.

A Constipação Intestinal pode ocorrer por diversos fatores, nas dietas pobres em fibras, por causa do baixo consumo de água, por falta de atividade física ou pelo desequilíbrio da Microbiota Intestinal (antigamente chamávamos de Flora Intestinal).

Então, segue algumas dicas infalíveis para o bom funcionamento do intestino.

Inclua fibras na sua dieta – Alimentos ricos em fibra ajudam na formação do bolo fecal e auxiliam o bom funcionamento do intestino! Inclua frutas, verduras (principalmente cruas), legumes e cereais e as oleaginosas.

Consuma água – O nosso organismo precisa muito de água, a demanda é bem maior do que imaginamos. Cada pessoa tem uma necessidade diária de água, se o seu intestino não está funcionando bem é provável que você esteja consumindo pouca água.

Atividade física – A atividade física auxilia os movimentos naturais do intestino, fazendo com que as fezes percorram por todo o intestino com mais facilidade, melhorando o fluxo intestinal.

Disbiose Intestinal – A Disbiose Intestinal nada mais é do que o desequilíbrio entre as bactérias que colonizam o nosso intestino. No nosso intestino existem bactérias benéficas e bactérias maléficas, mas todas elas precisam existir para que ocorra um equilíbrio entre entras, assim nosso intestino estará em Simbiose, significando que tudo está em Equilíbrio. Quando ocorre a Disbiose, que é um desequilíbrio entre essas bactérias, o funcionamento do intestino fica comprometido. A simbiose é tratada com o uso de bactérias boas para o intestino.

 

Ficou curioso sobre o tema? Aqui, no Nutrição em Pauta, nós falamos semanalmente sobre vários assuntos da Nutrição, então fique de olho.

 

Beijinhos da Nutri 


Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas:


Compartilhe:



19/07/2017 às 09h25m - Atualizado 19/07/2017 às 10h53m


Estilo de vida

O Estilo de Vida é tido hoje em dia como um dos principais fator para o desenvolvimento e também prevenção de muitas doenças como a obesidade. Sabemos que a forma com que a pessoa se alimenta, a prática de exercícios físicos regulares, o sedentarismo, são fatores determinantes para que a pessoa desenvolva ou não muitas doenças, mas os malefícios ou benefícios do estilo de vida não para por ai, quando pensamos a longo prazo podemos determinar como será a nossa velhice, por exemplo.

Muitas vezes nós observamos aquela família onde a maior parte das pessoas se tornam diabéticas em uma determinada idade, muitas vezes chegamos a pensar que é devido a fatores genéticos, afinam os pais eram diabéticos e os filhos se tornaram diabéticos, mas quando paramos para pensar um pouco mais afundo percebemos que, não existe relação genética entre o casal, então concluímos que nesse caso o estilo de vida contou mais que os fatores genéticos.

Existem também aqueles casos em que a pessoa se alimenta bem, dorme bem, se exercita regularmente e acaba infartando antes dos 40 anos de idade e nós pensamos, para que levar uma vida tão regrada se "fulano" acabou infartando? Bom, nesse caso os fatores genéticos tiveram mais força que o Estilo de Vida que essa pessoa levava, mas nós não devemos levar esse tipo de situação como regra, devemos sempre levar em consideração que o estilo de vida pode minimizar os riscos dos fatores genéticos, então essa deve ser a regra.

Devemos lembrar que nós reproduzimos os padrões que nos foram ensinados, então nós sempre repetimos os hábitos dos nossos pais, por isso que é sempre tão difícil criar novos hábitos, trocar o estilo de vida. A obesidade cresce a passos largos, segundo a Abeso – Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, atualmente mais de 50% da população adulta e 15% da população infantil do país está acima do peso.

As mudanças do estilo de vida e as mudanças nos hábitos alimentares da população têm sido apontadas como os grandes causadores desses dados tão alarmantes, precisamos então reverter isso, adquirindo novos hábitos alimentares, mais saudáveis e mais natural e adquirir um Estilo de Vida saudável, que promova saúde e nos tire da zona de risco que estamos vivendo atualmente.

 

Um grande beijo da Nutri


Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas:


Compartilhe:



03/07/2017 às 12h23m - Atualizado 19/07/2017 às 10h53m


Gordura localizada

Você já deve ter escutado alguém reclamar que não perde aquela "gordurinha localizada", mas porque isso acontece?

Em nosso corpo existem dois tipos de gordura, a gordura subcutânea e a gordura visceral. A gordura subcutânea é localizada logo abaixo da pele, ela é responsável pela "gordurinha localizada", celulite e outros problemas estéticos, já a gordura visceral é localizada mais internamente, entre os nossos órgãos, essa gordura é a responsável por diversos tipos de doenças, pelo aumento da pressão interna dos órgãos, provoca doenças crônicas não transmissíveis e, para o nosso corpo, é a gordura mais prejudicial. Por esse motivo, quando começamos a praticar uma atividade física ou começamos uma dieta, a primeira gordura a ser eliminada é a gordura visceral.

A explicação fisiológica para a redução da gordura visceral ocorrer primeiro é muito simples, quando praticamos uma atividade física nosso corpo libera catecolminas (adrenalina e noradrenalina), essas catecolaminas se ligam aos nossos receptores adrenérgicos e estimulam a quebra de gordura, lipólise. Nosso corpo possui dois tipos de receptores adrenérgicos para lipólise, esses receptores são diferenciados como Alfa e Beta. O que ocorre é que, a lipólise é estimulada através dos receptores adrenérgicos Beta, então quanto estimulamos os receptores Beta nós quebramos a gordura, mas a resposta para lipólise é inibida pelos receptores adrenérgicos Alfa. E por que é tão difícil perder a gordura localizada? Nós encontramos os receptores adrenérgicos Beta em maior quantidade na gordura visceral e menos desses receptores na gordura subcutânea, dessa forma, nós temos mais facilidade para perder a gordura visceral que a gordura subcutânea.

Quando pensamos na qualidade de vida, melhora do estado nutricional, redução dos riscos para as doenças crônicas não transmissíveis, a redução da gordura visceral é melhor se comparada à redução da gordura subcutânea, apesar de eu acreditar que todas as mulheres gostariam de perder em maior quantidade a gordura subcutânea.

Gostou dessa informação? Então fique ligado nas próximas semanas, falaremos sobre a estética e a nutrição.

Beijinhos da Nutri


Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas:


Compartilhe:



26/05/2017 às 14h33m


Usar suplementos faz mal?

Os suplementos alimentares surgiram há alguns anos no mercado e inicialmente eram usados para suprir as necessidades nutricionais especiais de certos indivíduos ou grupos de pessoas. Inicialmente se observava o uso de suplementos alimentares em hospitais, para pacientes com alguma necessidade específica e principalmente com crianças que precisavam ganhar peso, como por exemplo, as fórmulas infantis para ganho de peso.

Em 1998 a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) regulamentou os suplementos alimentares no Brasil, e sua definição pelo órgão é:

"Suplementos Vitamínicos e ou de Minerais para fins deste regulamento, doravante denominados simplesmente de "suplementos", são alimentos que servem para contemplar com estes nutrientes a dieta diária de uma pessoa saudável, em casos onde sua ingestão a partir da alimentação, seja insuficiente ou quando a dieta requerer suplementação. Devem conter um mínimo de 25%, e no máximo até 100% da Ingestão Diária Recomendada (IDR) de vitaminas e ou minerais, na porção diária indicada pelo fabricante, não podendo substituir os alimentos, nem serem considerados como dieta exclusiva." PORTARIA Nº 32, DE 13 DE JANEIRO DE 1998.

Então, entendemos que suplementos alimentares são produtos que utilizamos para complementar a nossa alimentação e ingestão diária recomendada de nutrientes, seja macro ou micronutrientes.

Mas, e a pergunta que não quer calar; "Usar suplemento faz mal para a saúde?"

Quando usamos os suplementos de uma forma consciente, em um plano alimentar bem estabelecido e calculado, em situações onde realmente se faz necessário usar suplementos, a resposta para a pergunta é: Não! Usar suplementos não faz mal para a saúde.

Quando não devemos usar suplementos?
Suplementos alimentares só devem ser usados quando realmente é necessário, fora isso não devemos usar suplementos.

E quando devemos usar suplementos?
Devemos usar suplemento quando temos necessidade, como no caso de atletas, praticantes de atividade física, em algumas doenças, no caso de condições especiais como nas intolerâncias, enfim, devemos usar suplementos quando houver a necessidade/indicação para o uso.

Suplementos causam câncer, insuficiência renal ou outro tipo de doença?
Suplementos alimentares são feitos à partir de alimentos, como no caso dos suplementos de proteína, onde pode ser usado como base para a fabricação o leite, o ovo e a carne. Então, "Suplementos Alimentares", se usados de forma correta, não causam nenhum tipo de malefício para a saúde.

Mas o que pode me causar câncer ou insuficiência renal?
Quando falamos de praticantes de atividade física e atletas, o uso de substâncias como esteroides anabolizantes, o uso excessivo de suplementos proteicos, o uso excessivo de medicamentos anti-inflamatório, tudo isso pode te causar câncer e insuficiência renal.

E quem pode prescrever os Suplementos Alimentares?
O Nutricionista! Somente o Nutricionista é capacitado e habilitado para definir a estratégia nutricional que melhor se adéqua às suas necessidades. Procure sempre um Nutricionista para te orientar.


Beijinhos da Nutri.


Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas:


Compartilhe:



19/05/2017 às 14h34m


Eu tenho mesmo que seguir a dieta?

Diariamente eu sou questionada sobre o "Dia do Lixo"... Espera um pouco, você é uma lixeira? Ufa, pensei que alguém diria que sim!

Bom, já que entendemos que ninguém aqui é uma lixeira, não vem com essa de dia do lixo!

Não existe, entenda bem, não existe dieta milagrosa, existem pessoas que seguem a dieta regularmente e com responsabilidade, essas pessoas alcançam resultados que você talvez não esteja alcançando e jamais alcançará. Mas por quê?

O segredo é velho e todo mundo conhece, seguir a dieta corretamente, sem furar a dieta, sem enfiar o pé na jaca, sem desculpas esfarrapadas. Então vamos para a prática.

Existe "Dia do lixo"? – Não!

Sair da dieta nos finais de semana atrapalha a minha perda de peso? – Sim, claro e com certeza!

Mas eu posso sair só uma vezinha, assim, tipo, comendo um hambúrguer? – Bom, você quer o resultado completo ou parcial? Então, caso você não se importe de ter o resultado parcial... coma o seu hambúrguer. Caso você queira um resultado completo e em menor tempo, jamais coloque esse hambúrguer na boca, isso, cospe logo isso!

E eu tenho que viver assim para sempre? – Claro que não! O processo de emagrecimento é temporário e logo que você chegar no peso programado você entrará em manutenção do peso, que é uma fase menos severa quanto a de emagrecimento!

Em quanto tempo eu chegarei a fase de manutenção? – Isso dependerá da sua disciplina na dieta. Você é daquele tipo de pessoa que fica saindo da dieta nos finais de semana, aniversários, batizados, dia do índio, trabalhador, professora, dia das mães, dos pais, do periquito e do papagaio? Então você não pode reclamar da demora em perder peso! Passe a seguir a sua dieta do jeitinho que ela foi programada e logo logo você entrará em manutenção de peso.

Eu segui a dieta o dia todo, mas à noite eu tomei uma cerveja, eu merecia essa cerveja, cheguei em casa tão cansada(o)! – Então você não fez a dieta! Tinha cerveja na dieta? Então... são essas atitudes que tomam o seu resultado, fazer dieta é comer só o que está na DIETA, tomar 1 copo de suco fora da dieta é sair da dieta, comer 1 bombom fora da dieta é sair da dieta! Entendeu? Vamos parar com essa desculpa do eu mereço ou vamos continuar sempre a dar desculpas para não emagrecer?

Eu não perco peso, é genética sabe? Sei... eu e todo o Maraca sabemos! Sabemos também que você come tudo errado, toma caldo terça feira, toma cerveja na sexta, vai para o churrasco no domingo, tem matado o treino... Senhor Deus, porque fizeste isso comigo, me dando uma genética dessas meu Pai? Tipo, genética não faz milagre e nem você mente tão bem assim, todos reparam quando você diz que não emagrece por causa da genética e fica ai, comendo torresmo e tomando cerveja! Essas desculpas estão manjadas, então que tal agora parar de dar desculpa e começar a falar a verdade? Tipo, gente, eu não emagreço porque eu não quero, eu quero tomar cerveja, eu quero comer torresmo, quero tomar refrigerante, eu sou feliz assim, parem de pegar no meu pé! Não né?! Não é isso que nós queremos, então vamos retomar aquela dieta, vamos voltar com força total, emagrecer e não precisar mais dar satisfação para nós mesmas, porque o que mais nos incomoda não são os outros perguntando e sim a imagem que vemos no espelho!

Tudo entendido?


Então eu super beijo da Nutri, meus amores.


Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas:


Compartilhe:



27/04/2017 às 14h33m


Hibisco

O consumo do chá de Hibisco é algo muito comum! Devido às suas propriedades diuréticas esse chá faz sucesso principalmente entre as mulheres.

Muitas pessoas me perguntam sobre as suas propriedades e sobre como utilizar esse chá que é tão barato e realmente trás benefícios, então, vamos anotar as dicas!

O Hibisco é um vegetal originário da África Oriental, em muitos países, como a Ásia, o hibisco é utilizado como alimento funcional e isso é devido as suas propriedades antioxidantes, seu alto teor de Vitamina C, antocianinas, polifenóis, betacaroteno, licopeno e muitas outras propriedades nutricionais. Trocando em miúdos, o Hibisco é um potente antioxidante!

Quando falamos das suas ações terapêuticas podemos citar a ação diurética, para regulação do trânsito intestinal, ação hepatoprotetora combatendo as infecções hepáticas, auxilia na hipertensão, também possui ação antibacteriana, são muitos os benefícios do hibisco.

Existem várias formas de consumo do Hibisco, melhores horários para o consumo, entre outras peculiaridades, então vou deixar para vocês as respostas de perguntas comuns sobre o assunto. 

Qual o melhor horário para consumir o chá?
O horário ideal para o consumo de chás é entre as refeições, para que não ocorra interferência na absorção de nutrientes das refeições.

Qual a quantidade de chá que posso tomar por dia?
Como em todos os aspectos da nutrição, não existe uma dose padrão e sim uma dose indicada para cada caso, por isso é muito importante que a orientação seja individualizada! Mas uma dose diária segura de chá de Hibisco é o consumo de 2 xícaras de chá por dia, aproximadamente 400mL, preparadas com 1 colher de sopa rasa das flores secas do Hibisco.

Hipertensos podem consumir o chá de Hibisco?
Sim, a ação diurética auxilia no controle da pressão arterial, mas claro, com muita moderação.

O chá de Hibisco emagrece?
Infelizmente não! O chá de Hibisco auxilia no emagrecimento por ser diurético e combater a retenção de líquidos, mas o chá sozinho não promove perda de peso.

Gostaram das dicas sobre o chá de Hibisco? Então fiquem de olho, semana que vem tem mais matéria para vocês.


Um super beijo da Nutri.



Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas:


Compartilhe:



20/04/2017 às 15h55m


Gratidão

Essa foi uma semana de muito trabalho e de muito bate papo, realizei três palestras onde abordamos o tema Emagrecimento Descomplicado e o papo rolou solto, foram muitas dúvidas esclarecidas e muito conhecimento dividido.

A ideia de realizar essas três palestras surgiu quando percebi que as pessoas tem uma grande dificuldade em entender como fazer para emagrecer, são muitos tabus sobre o assunto, muitos mitos e muitas informações erradas que são veiculados pelos meios de comunicação. E tendo em vista que o número de pessoas está crescendo a cada dia mais, então decidi que precisava fazer a minha parte, como nutricionista, o quanto antes.

Sempre que eu faço palestras a receptividade das pessoas é algo fantástico, eu fico muito feliz por poder dividir com essas pessoas boas informações e empoderar cada uma delas, temos que entender quais as melhores decisões a se tomar quando se trata da nossa saúde.

Muitas perguntas surgiram e eu pude entender qual a carência de informação das pessoas que me acompanham, o uso de suplementos, qual a diferença entre eles, o uso de fórmulas e chás, fitoterapia no geral, os procedimentos estéticos que tem surgido, enfim, são muitos assuntos que serão abordados a partir de agora aqui no blog, então fiquem de olho para os novos assuntos.

Nosso Blog estará de cara nova e novo formato para melhor atender ao público que me acompanha, aguardem as novidades.

E sobre o que define essa semana... Gratidão por tudo e por cada um que esteve comigo nessa jornada.

Um grande Beijo.


Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas:


Compartilhe:



31/03/2017 às 10h57m


Relato de uma obesa!

Eu sempre falo aqui no meu Blog sobre assunto que dizem respeito a terceiros, mas eu venho há muito tempo pensando sobre como as minhas experiências poderiam ajudar meus leitores a pensar diferente.

Eu fui uma adolescente muito magra, aos 15 anos eu pesava 45kg e estava abaixo do peso, comecei então a fazer atividade física e mantive o peso de 58kg até meus 19 anos. Na época entre meus 19 e 21 anos eu passei por um período onde ganhei muito peso, chegando a pesar 96kg, esse foi o meu peso máximo! Nessa época eu ficava imaginando o que havia acontecido para que eu ganhasse tanto peso em um período tão curto de tempo, afinal, foram quase 40kg em 2 anos. 

Eu estava na faculdade nesse período, como disse anteriormente, foi um período muito complicado, eu trabalhava, estudava e deixei muito a desejar com a minha alimentação, eu comia salgadinho e tomava refrigerante todos os dias já que era um lanche rápido e meu tempo ser curto para parar e preparar uma refeição mais saudável. Devido a necessidade de estudar, muitas vezes eu chegava a trocar o almoço por 2 ou 3 salgados e uma lata de refrigerante, isso era algo rápido de comer, eu não precisaria parar de estudar, eu poderia ir lendo o que precisava e comendo ao mesmo tempo! Mas até onde a minha falta de tempo realmente contribuiu para que eu engordasse? Ou será a minha falta de organização e preguiça que me fizeram engordar? Fato é que, em 2012 eu iniciei uma dieta onde eu perdia 2kg por mês, ao longo de 11 meses consegui reduzir 12kg do meu peso, e em 2013 consegui perder mais 8kg ao longo do ano.

Uma coisa que eu preciso chamar a atenção das pessoas para a programação genética que fazemos ao longo de nossas vidas. Eu só engordei todos esses quilos em tão pouco tempo porque eu tinha células suficientes para isso! Eu me recordo que na adolescência, por ser muito magra, eu "comia de tudo e não engordava", eu comia grandes quantidades de alimentos, mas devido ao meu metabolismo acelerado pela adolescência e processo de crescimento meu gasto energético era alto. Só que, durante anos eu me programei com a ingestão de alimentos altamente calóricos, alimentos que geravam respostas em minhas células para que elas estocassem energia, meu corpo estava pronto para engordar.

Hoje eu vejo muitos pais oferecendo a seus filhos alimentos ricos em gordura e açúcar, alimentos que estão gerando nos corpos de seus filhos respostas para que o corpo estoque energia, e essa energia estocada resultará em uma pessoa obesa mais adiante.

Eu entendo que a vida esteja corrida, as pessoas estão sem tempo para cuidar melhor da alimentação de seus filhos e a sua própria alimentação, mas a obesidade é simples e puramente o resultado de nossas escolhas. Uma pequena parcela da população é obesa por fatores genéticos, a maior causa da obesidade na população é o estilo de vida e habito alimentar. Se hoje as doenças crônicas estão aumentando, nós podemos tratá-las e preveni-las mudando nossos hábitos alimentares.

E por qual motivo eu disse que esse texto seria um relato de uma obesa?

Nós criamos células de gordura em nossos corpos, criamos uma programação genética para a obesidade, nós ensinamos o nosso corpo a poupar energia, estocar gordura, e essas células de gordura junto a sua programação genética para guardarem gordura não morrem quando nós emagrecemos. Hoje eu me considero uma obesa magra, pois meu corpo está pronto para voltar a ganhar peso a qualquer momento! Hoje eu luto para reprogramar o meu organismo para que ele entenda que não precisa estocar gordura, mas eu sei que isso levará anos. Então, vamos parar e pensar, será que o seu estilo de vida condiz com o que você deseja ser? Você quer ser magro? Então eu sinto em lhe dizer, mas você terá que sair da zona de conforto, terá que deixar de comer todos esses alimentos cheios de gordura, açúcares, cheios de aditivos e terá que mudar a sua alimentação, mas não somente a sua alimentação, mas também terá que mudar o seu estilo de vida! Saia da zona de conforto, afinal, a zona de conforto não te permitirá mudar. A mudança dói, mas é 
uma dor que gera grandes alegrias. E não se iluda, tem que haver uma mudança total de vida, afinal, você estará magro, mas seu corpo será sempre o corpo de um obeso.

Espero fazer a diferença na vida de cada um dos que leram esse texto!


Um super beijo da Nutri


Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas:


Compartilhe:



23/03/2017 às 14h49m


A carne não era de qualidade?

Atualmente estamos vivendo um momento em que a mídia tem divulgado muitas informações sobre alimentos contendo coisas estranhas como papelão, produtos estragados e impróprios para o consumo sendo vendidos como produtos de qualidade, temos visto ordens de retirada de alguns produtos das prateleiras por conterem pelos de rato, toxinas, partes de insetos, mas, vocês conhecem a RDC nº 14 de 28/03/2014? 

"A RDC nº 14 de 28/03/2014 Dispõe sobre matérias estranhas macroscópicas e microscópicas em alimentos e bebidas, seus limites de tolerância e dá outras providências."

Ou seja, essa RDC fala sobre matérias estranhas "macroscópicas – vistas a olho nu" e "microscópicas – vistos somente com a ajuda de um microscópio" em alimentos e bebidas, estipulando os "limites de tolerância dessas matérias estranhas".

Isso significa que a ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária permite certas quantidades de matérias estranhas nos alimentos e bebidas comercializadas no Brasil. E segundo o anexo da RDC nº 14 de 28/03/2014 essas matérias estranhas podem ser partes de insetos, insetos inteiros, pelos de roedor, fungos, areia ou ácaros. 

Como exemplo das informações dispostas nesse anexo.

Em produtos de Tomate como molhos, tomates inteiros, enlatados, catchups e outros produtos derivados de Tomate.
 
É permitido conter: 
Fragmentos de insetos – 10 em 100g
Fungos – 40% em extrato, purê, polpa e molhos, 55% de campos positivos para catchup e 12% de campos positivos para tomate inteiro enlatado com ou sem suco.
Fragmentos de pelos de Roedor – 1 em 100g
Em Farinhas, massas, produtos de panificação.
É permitido conter em Farinhas de Trigo:
Fragmentos de insetos – 75 em 50g
Fungos – 40% em extrato, purê, polpa e molhos, 55% de campos positivos para catchup e 12% de campos positivos para tomate inteiro enlatado com ou sem suco.
Fragmentos de pelos de Roedor – 1 em 100g
Farinha de milho e fubá – 50 em 50g
Massas alimentícias, biscoitos, produtos de panificação e de confeitaria – 225 em 225g
Chás, peguei como exemplo o chá de hortelã.
Fragmentos de insetos – 300 em 25g
Insetos inteiros mortos – 5 em 25g
Fragmentos de pelos de Roedor – 2 em 25g
Alimentos em geral são permitidos 1,5% de Areia ou cinzas insolúveis em ácido.

E no anexo 2 são dispostos os limites de tolerância para ácaros nos alimentos.

Então meu povo, o que estamos vendo nesse momento, são coisas normais que acontecem diariamente e são permitidos pela ANVISA.

É como se a ANVISA falasse assim; "_Como no Brasil nós não conseguimos manter o mínimo de qualidade sanitária, limpeza, e boas práticas de fabricação de alimentos, então nós permitimos um limite máximo para sujidades, impurezas, a presença de insetos, pelos de rato, fungos, etc., nos alimentos produzidos e comercializados."

E sendo sincera com vocês, eu não acredito que muita coisa irá mudar na industria alimentícia, apesar das notícias chocarem a população as coisas sempre foram assim, é permitido 1 pelo de rato, mas 2 pelos já é demais! É tampando o sol com a peneira que vamos vivendo, bola pra frente Brasil!


Um beijo da Nutri 


Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas:


Compartilhe:



16/03/2017 às 10h15m


50% Obesos

Que a obesidade assombra o mundo moderno todos nós sabemos. Sabemos também sobre os riscos da obesidade e os danos causados na saúde do obeso. Mas será que nós realmente sabemos o quanto estamos obesos? Nós, a população, sabemos o quanto nós estamos sendo atingidos por essa doença?

Segundo a ABESO – Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, atualmente a região Sudeste ocupa o 2º lugar no ranking de obesidade entre a população adulta do Brasil, sendo 50,45% da população adulta obesa. E ocupa o 1º lugar em obesidade de crianças com idade entre 5 e 9 anos, sendo 38,8% da população dessa faixa etária obesa.

Esses dados geram grande preocupação, já que o mundo inteiro vem lutando contra a obesidade há anos, mas o número de pessoas obesas só aumenta a cada ano que passa.

Quando pensamos no adulto obeso temos que lembrar que, o adulto é responsável pelos seus atos, suas escolhas e as consequências que isso traz. E quando pensamos nas crianças? O que nós temos como resposta é que a obesidade dos pais tem influenciado diretamente nas crianças e isso é muito grave, significa que a próxima geração terá mais obesos que temos atualmente.

Mas o que mudou? Porque temos esses dados tão alarmantes?

A primeira coisa a ser levada em consideração é que, a população tem investido cada dia mais em alimentos prontos, pré-preparados, em fast foods, refrigerantes, alimentos que contém em sua composição grandes quantidades de açúcares e gorduras e sódio. Podemos dizer que a modernidade no setor alimentício é o mal do século!

A segunda coisa a ser levada em consideração é que o sedentarismo cresceu, segundo o VIGITEL 2014 49% da população é insuficientemente ativa, sendo 40% de homens e 56% de mulheres que não praticam atividade física em tempo suficiente para promover melhoras na saúde. Apesar da queda no número de pessoas que assistem televisão e o aumento no número de pessoas com mais de 12 anos de escolaridade que praticam atividade física regularmente, grande parcela da população ainda está sedentária, um outro ponto que temos que observar é que apesar das pessoas estarem assistindo menos televisão, mas a internet tem ocupado um precioso tempo no dia a dia da população, que tem se tornado cada vez mais obesa.

E como podemos reverter esse quadro?

O cuidado com a alimentação é fundamental, reduzir o consumo de alimentos ultra processados, como os alimentos prontos, enlatados, refrigerantes e bebidas gaseificadas, sucos de caixinhas e latinha, reduzir o consumo de sal, aumentar o consumo de frutas, verduras e legumes, aumentar o consumo de alimentos naturais, aumentar a pratica de atividade física, esses são os primeiros passos para reverter o avanço da obesidade no Brasil.


Um super beijo da Nutri

Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas:


Compartilhe:



Perfil

Giuliana de Paiva, Nutricionista formada pela Faminas, especializando em Nutrição Clínica e Esportiva. Atendendo a cidade de Cataguases e região, seu trabalho é voltado para o público praticante de atividade física e também para as pessoas que buscam qualidade de vida e mudanças nos hábitos alimentares. Trabalha com consultório, palestras, personal diet, com grupos, fazendo um trabalho totalmente individualizado e personalizado.
Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: