Muitas vezes nos pegamos pensando sobre isso ou escutamos alguma pessoa falar sobre esse assunto, alimentos de dieta são os light e diet, mas será mesmo que tem que ser assim?

Segundo a Anvisa, os alimentos classificados como light ou zero (estabelecidos pela Portaria SVS/MS 27/1998) são alimentos com alguma condição específica em suas propriedades nutricionais, o que pode ser em relação ao seu valor energético ou a quantidade de nutrientes presentes em sua formulação, como carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e sais minerais. Não necessariamente esse alimento terá um teor energético menor do que um produto similar. Para ser classificado como Light ou Zero basta o alimento ter baixo ou reduzido teor de algum nutriente, sendo que, para esse alimento ser classificado como light deverá apresentar uma redução de no mínimo 25% do nutriente proposto, como por exemplo, 25% menos sódio.

Quando falamos de alimentos Diet (contemplados na Portaria SVS/MS 29/1998) são aqueles destinados às pessoas com condições especiais como diabéticos, hipertensos ou pessoas que mantém uma dieta para controle ou perda de peso, alimentos destinados para dietas com restrição de açúcares ou restrição de outro nutriente como proteínas, gorduras, açúcar ou sódio, como por exemplo, os alimentos destinados a Diabéticos, que são produtos com restrição de açúcar ou alimentos destinados a Hipertensos com restrição de sódio. Os alimentos Diet devem ser isentos ou apresentar quantidades insignificantes de determinado nutriente.

Então, agora que sabemos identificar o que são os alimentos Light e Diet, você acredita mesmo que, ao iniciar uma dieta você precisa consumir apenas esses alimentos?

Vamos pensar o seguinte, iniciamos uma dieta e queremos reduzir calorias, mas estamos consumindo um alimento Diet que é isento de sódio, mas tem um teor de gordura maior, ou digamos que vamos optar por outro alimento Diet que é isento de açúcar, mas tem um teor de sódio maior, será que estamos realmente tendo alguma vantagem em consumir esses alimentos?

Quando comparamos os refrigerantes de cola convencional e o zero podemos observar isso, no refrigerante convencional o teor de sódio é de 18mg em 350ml, já o refrigerante zero o teor de sódio é de 49mg em 350mL, mais que o dobro de sódio na mesma quantidade de produto. Pensando por esse aspecto, esse refrigerante é zero açúcar e um hipertenso que precisa perder peso para controlar a sua pressão arterial pode facilmente consumir esse alimento, pois não tem carboidratos, mas em contra partida esse alimento pode contribuir para um quadro de hipertensão arterial.

Opinando a respeito, eu como nutricionista, não acredito que uma pessoa necessariamente precisa consumir alimentos Diet ou Light apenas pelo fato de estar de dieta ou porque essa pessoa deseja perder peso. Esses alimentos podem facilmente levar a pessoa ao erro, por esse motivo acredito que a leitura do rótulo dos alimentos é essencial para não consumir um alimento equivocadamente.

Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas: diet, light, sódio, açúcar, alimento


Compartilhe:



Acredito que todo mundo já tentou fazer dieta pelo menos 1 vez na vida! Mas o que diferencia as pessoas que tem sucesso em suas dietas daquelas que se frustram ao não conseguir permanecer na dieta?

Temos que ter como ideia inicial não faz uma dieta, mas sim alcançar uma mudança de vida, mudança dos velhos hábitos, que contribuem para o ganho de peso, para adquirirmos novos hábitos que contribuem para a perda de peso, sendo o nosso novo estilo de vida.

O motivo para muitas pessoas não permanecer na dieta é que elas sempre traçam metas altas e que são difíceis de alcançar, desejam resultados em um curto espaço de tempo como por exemplo quando pretendem viajar no mês seguinte e querem perder muito peso para a viagem ou quando decidem mudar de estilo de vida e desejam ser "fitness" na semana seguinte.

Pensem que a construção de um corpo depende das atitudes que você toma ao logo do dia, somem isso ao longo da semana, do mês, do ano e finalmente você terá mudado o seu estilo de vida!

Levamos muito tempo para ganhar peso, geralmente as pessoas levam anos para adquirir certo peso, então foi muito tempo investido para que você chegasse no corpo e peso que você está hoje e essa regra também vale para a perda ou manutenção do peso. Uma pessoa que pretende ter um corpo malhado, definido ou magro, seja o objetivo qual for essa pessoa terá que investir muito tempo, dinheiro, sonhos e talvez terá que abrir mão de algumas coisas para alcançar o seu objetivo, mas a regra é clara, levará tempo para que você alcance o seu objetivo.

Então, a regra é clara, trace metas reais e alcançáveis, dê ao seu corpo o tempo necessário para que essa nova rotina vire hábito, não faça loucuras, cuide bem do seu corpo e da sua mente, ocupe seu tempo com coisas que te edificam e cuide do seu corpo como o seu maior bem, seguindo esses passos você terá sucesso na dieta e realizará tudo o que desejar.

Um beijo da Nutri. 

Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas: dieta, perseverança, pessoas, sucesso


Compartilhe:



Muitas pessoas tem me perguntando sobre a prática do Jejum Intermitente, já que a mídia tem divulgado sobre seus benefícios. Temos que lembrar que, a atual dieta de Jejum Intermitente é usada há muitos anos e era conhecida como Dieta Cetogênica, descoberta em 1962 pelo Dr. Alfred Bauer em seus estudos, onde identificou que em determinado estado de jejum com o corpo em estado de catabolismo a gordura era convertida no fígado em ácidos graxos e corpos cetônicos para obtenção de energia, por isso o nome de Dieta Cetogênica.

Os benefícios do Jejum Intermitente vão muito além do que podemos imaginar, o uso desse tipo de dieta pode auxiliar no tratamento da compulsão alimentar, na redução de peso, redução de marcadores hormonais, redução da resistência à insulina, melhora da resposta de fome e saciedade, entre outros benefícios.

Muitos estudos evidenciam que a curto prazo vários tipos de dieta trazem benefícios de perda de peso, mas poucos estudos evidenciam esses benefícios a longo prazo, como a permanência do indivíduo com a dieta, redução dos marcadores hormonais a logo prazo, redução e manutenção do peso, redução das doenças cardiovasculares, melhora e prevenção do Diabetes, redução das taxas de lipídeos no sangue, entre outros marcadores.

Um estudo realizado com 40 adultos obesos de ambos os sexos, avaliou a eficácia entre as dietas de baixa caloria, alta em proteínas e jejum intermitente e uma dieta convencional. Os grupos foram avaliados por 1 ano e 4 meses e concluiu-se que ao final do período os indivíduos que estavam em uma dieta com baixa caloria, um aporte proteico maior e praticando jejum intermitente conseguiram a manutenção, a manutenção foi igual em ambos os sexos, os níveis de lipídeos no sangue eram menores e alcançaram uma melhora no sistema cardiovascular quando comparados ao grupo que mantiveram uma dieta saudável convencional.

O que esse estudo demonstrou foi que existem inúmeros benefícios na pratica do jejum intermitente diante a manutenção da perda de peso, melhora no perfil bioquímico, melhora no sistema cardiovascular, entre outras vantagens.
Vale lembrar que, todos devemos sempre procurar a orientação de um profissional Nutricionista para a orientação personalizada.

Um super beijo da Nutri.


Autor: Giuliana Paiva

Tags relacionadas: jejum, dieta, fígado, estômago


Compartilhe:



Perfil

Giuliana de Paiva, Nutricionista formada pela Faminas, especializando em Nutrição Clínica e Esportiva. Atendendo a cidade de Cataguases e região, seu trabalho é voltado para o público praticante de atividade física e também para as pessoas que buscam qualidade de vida e mudanças nos hábitos alimentares. Trabalha com consultório, palestras, personal diet, com grupos, fazendo um trabalho totalmente individualizado e personalizado.
Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: