Em 12/09/2017 às 16h00

Projeto Girarte vai ministrar oficina e viaja por vários estados do país

O Girarte começou em Cataguases com uma proposta de desenvolver atividades artísticas e recreativas para jovens e crianças, além de professores

O Girarte começou em Cataguases com uma proposta de desenvolver atividades artísticas e recreativas para jovens e crianças, além de professores

Download
O Projeto Girarte vai realizar no dia 23 de setembro, no Centro Cultural Humberto Mauro, mais uma de suas oficinas abertas ao público. Desta vez vai abordar o "Metódo Bertazzo aplicado ao Contato e Improvisação". A proposta é provocar o diálogo corporal entre pessoas de diferentes faixas etárias, profissões, artistas e não artistas, explica o coordenador do projeto, Marcus Diego. Este ano a oficina já foi realizada em Muriaé/MG, em parceria com a FUNDARTE, e foi vivenciada pelo público paraibano, em João Pessoa-PB, em parceria com a FUNESC, acrescenta.

imageO Girarte começou em Cataguases com uma proposta de desenvolver atividades artísticas e recreativas para jovens e crianças, além de professores. Através de suas ações, intervém no ambiente escolar para promover uma "explosão de alegria", conforme define Marcus Diego, em todas as cidades e locais onde se apresenta. "Somos comprometidos com as mais relevantes propostas de inclusão e democratização cultural", salienta o coordenador do projeto que, conforme revela, "tem se consolidado como referência de qualidade através de sua arte que vem sendo levada para diferentes cidade e regiões do Brasil", completa.

O Projeto abriga, ainda, o Grupo de Pesquisa Girarte, formado por artistas com experiência de quatorze anos em projetos artísticos e culturais dentro e fora do Brasil. O Grupo tem um rotina de trabalho exaustiva, informa Marcus Diego, envolvendo além das constantes pesquisas e práticas nas variadas linguagens artísticas como dança, teatro, contato, improvisação, música, cinema, treinamento físico, ensaios e workshops de capacitação, além, é claro, da montagem de espetáculos, conta.

O mais recente destaque deste trabalho, diz Marcus Diego, é o espetáculo "LEI" que já passou por Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraíba e Rio de Janeiro, sendo sucesso absoluto em todas as apresentações. "A obra revela através da dança contemporânea e o teatro, questões pertinentes e comparações entre as leis criadas para a flexível ética social e as leis imutáveis da Física", explica o coordenador do Grupo. Segundo ele, desde a estreia em 2016 o espetáculo já foi apreciado por quase 3 mil espectadores. "Isto significa que estamos divulgando a cultura produzida em Cataguases em diversas regiões do país", afirma Marcus Diego. "Nosso grupo tem sido impecável em sua proposta de peregrino da arte nas estradas e uma estrela nos palcos", avalia Diego.

imagePara ele o Projeto vive vencendo desafios e o maior deles foi conseguir desenvolver um trabalho artístico e social em um mesmo projeto que teve como foco a democratização cultural visando o desenvolvimento artístico através de uma perspectiva inclusiva. Paralemente, acrescenta Marcus, "pudemos realizar pesquisas focadas na estética do movimento, no alto rendimento e condizentes com o cenário prioritariamente profissional da dança e do teatro". O Projeto Girarte, completa, tem o patrocínio da Energisa, via Lei de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e apoio da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho. A equipe de artistas e pesquisadores do Projeto é formada por Andreza Viana, Carlos Gonçalves, David Peixoto, Deliana Domingues, Lidiane Matias, Marcus Diego, Miriam Gaspar e Tatiane Dias. Apoio e suporte técnico Fernanda Pinheiro.
 
Para mais informações sobre a oficina "Método Bertazzo aplicado ao Contato e Improvisação" e detalhes sobre o Projeto Girarte visite o site http://www.projetogirarte.com.br.

image

image

image

Tags: Girarte, projeto, dança, teatro, oficina





Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: