Em 10/01/2017 às 12h00

Sem casos de Febre Amarela, Cataguases registra dois de Leishmaniose

Dois casos da doença já foram diagnosticados no município recentemente, que é transmitida por um mosquito. Dengue também preocupa

O trabalho dos agentes de endemias é essencial para impedir o avanço do mosquito Aedes Aegyiti e outros vetores

O trabalho dos agentes de endemias é essencial para impedir o avanço do mosquito Aedes Aegyiti e outros vetores

Download
Apesar do surto de Febre Amarela em algumas regiões de Minas Gerais, em Cataguases, conforme informações prestadas esta manhã de terça-feira, 10 de janeiro, pelo Setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, não há nenhum registro da doença. 

Porém, conforme relata Tairises da Silva Roque, coordenadora daquele setor, a situação merece cuidado e atenção por parte da população, porque a transmissão da doença é feita por um mosquito. Ela aconselha as pessoas a usarem repelente e atualizarem o cartão de vacina. "Caso seja necessário tome uma nova dose no posto de saúde mais perto de sua casa", orienta. Outro cuidado importante é evitar os locais onde há focos de mosquitos, especialmente ao entardecer, acrescenta.

imageEstes cuidados, lembra Tairises (foto ao lado), também são válidos também para evitar a proliferação do mosquito da Dengue, que transmite ainda a Chikungunya e a Zika. "Por isso é muito importante as pessoas permitirem a entrada dos agentes de endemias em suas residências para fazer a vistoria e a prevenção impedindo a proliferação do Aedes Aegypti que também combate o surgimento de outros mosquitos", disse. Ela completou dizendo para as pessoas ficarem atentas a estas doenças e também à Leishmaniose que já acometeu duas pessoas em Cataguases recentemente.

A Leishmaniose é uma doença não contagiosa causada por parasitas (protozoário Leishmania) que invadem e se reproduzem dentro das células que fazem parte do sistema imunológico (macrófagos) da pessoa infectada. Sua transmissão se dá através de um pequeno mosquito que se alimenta de sangue, conhecido como mosquito palha. 

Os sintomas variam de acordo com o tipo da Leishmaniose. No caso da tegumentar, surge uma pequena elevação avermelhada na pele que vai aumentando até se tornar uma ferida que pode estar recoberta por crosta ou secreção purulenta. Há também a possibilidade de sua manifestação se dar através de lesões inflamatórias no nariz ou na boca. Na visceral, ocorre febre irregular, anemia, indisposição, palidez da pele e mucosas, perda de peso, inchaço abdominal devido ao aumento do fígado e do baço.

Veja aqui para ler o Alerta sobre a Importância de se intensificar a vigilãncia da Febre Amarela emitido pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais.

Tags: leishmaniose, febre amarela, dengue, epidemiologia





Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!