29/07/2016 às 19h17m


Desvendando um aparelho de jantar

Prato de mesa, de sobremesa, de salada, de pasta, de bolo, de pão… nossa, como a gente come, hein? Para que tanto prato? E as tigelas? 2 tipos num mesmo jogo, será que veio errado? Xícara em 3 tamanhos diferentes? Não era só de café e chá? E o que é chávena? Ah, o mesmo que xícara… Sousplat, saladier, consommé, agora preciso aprender francês para comprar louça? Está muito difícil, melhor ver isso depois…

Brincadeiras à parte, você sabe reconhecer cada prato do aparelho de jantar e dizer para que serve? Bom, às vezes são tantas especificidades que fica difícil mesmo. Algumas marcas chegam a ter de 6 a 8 tipos num mesmo jogo. Outras nem definem o uso, só dizem o tamanho e pronto, o que complica mais ainda. Aqui, vamos desvendar cada item do serviço de mesa. Essa semana falaremos dos tipos de pratos, na próxima os demais!
Tipos mais comuns de pratos

Prato Marcador: Também conhecido como sousplat. Como o próprio nome diz, ele serve para marcar o lugar de cada pessoa à mesa. Não se come nele. Mede entre 30 e 33cm.

Prato Raso: Tem gente que chama de prato de mesa ou de refeição. Algumas marcas diferem ainda se é de almoço ou de jantar. Sendo que o de almoço é menor e o de jantar é maior. Mede entre 25 e 29cm.

Prato de Sopa: Também chamado de prato fundo. Mede entre 22 e 23cm.

Prato de Salada: Não é muito comum no Brasil. Ele pode ser substituído pelo de sopa, sem problema algum. Inclusive, algumas marcas não têm prato de salada e sim uma tigela rasa e larga, outras têm em formato de lua. Mede entre 19 e 22cm.

Prato de Sobremesa: Para doces em geral, mas também é comum usá-lo para entradas. Se num mesmo aparelho houver o prato de salada e de sobremesa, esse último será um pouco menor. Mede entre 19 e 22cm.

Prato de Pão: É o menor da turma. Ele é usado quando é servido pão para acompanhar a refeição, o que não é um hábito cotidiano no Brasil, mas que vai muito bem para servir aquela sopinha no inverno. Mede entre 16 e 18cm.

Outros tipos:
Prato Gourmet: É maior que os pratos rasos comuns. Como o próprio nome diz, não é para uma comidinha qualquer. Os chefs de alta gastronomia sempre usam. Mede entre 30 e 33cm.

Prato de Pasta: É um tipo da linha gourmet também. Normalmente tem uma aba grande e é fundo. Mede entre 27 e 29cm.

Prato de Pizza: É um prato reto, com uma pequena borda. É muito usado em lugares onde a pizza é servida individualmente. Aqui no Brasil, tem um prato triangular usado para pizzas em fatia. Mede entre 32 e 33cm (o redondo).

Prato de Bolo (fatia): Muito raro por ser facilmente substituído pelo de sobremesa. Mas existem alguns jogos especiais para bolo que vêm o prato para servir e os pratinhos para comer. Mede entre 19 e 20cm.

Aproveitem as dicas. Um excelente fim de semana pra todos!



Fonte: http://colocandoamesacomcharme.com.br/guia/guia-da-mesa-posta-loucas-parte-3-desvendando-um-aparelho-de-jantar/


Autor: Cinthia Melo

Tags relacionadas: jantar, pratos, aparelho, talher, mesa


Compartilhe:



16/07/2016 às 08h59m


Conheça alguns tipos de açúcares

Embora o açúcar branco e refinado seja o mais comum nas prateleiras do mercado e casa dos brasileiros, não é o único. Outras variedades de adoçantes naturais podem ser obtidas através de diferentes tipos de colheita e industrialização ou de outras matérias primas, como frutas e milho.

Conhecido como um ingrediente perigoso, o açúcar de fato deve ser ingerido com moderação, já que o uso desregrado pode provocar a obesidade e desenvolver a diabetes. Para escolher o melhor tipo de açúcar, confira o que é o orgânico, mascavo, demerara, light e frutose.

Orgânico
Muito parecido com o mascavo, o açúcar orgânico não utiliza produtos agrotóxicos em seu plantio e cultivo e nem componentes químicos artificiais no processo de industrialização. Além disso, o açúcar orgânico não é refinado, o que lhe confere grãos mais grossos e cor mais escura.

Portanto, seus benefícios estão relacionados à ausência de aditivos químicos e preservação dos sais minerais e não aos valores calóricos.

Mascavo
De cor caramelo e com sabor parecido com o da rapadura, o açúcar mascavo é extraído da cana-de-açúcar e o que lhe confere características diferentes do refinado é a diferença no processo de industrialização, já que é obtido no cozimento e, portanto, não passa pelo processo de refinamento, ação que conserva seus valores nutricionais.

Embora sua diferença calórica não seja considerável, o ingrediente é considerado uma versão mais saudável dos tipos de açúcares.

Demerara
Conhecido por ser uma das formas mais caras dos açúcares extraídos da cana, o demerara é muito utilizado na receita de doces sofisticados. De sabor mais ameno que o mascavo, o ingredientes passa pelo processo de purificação e refinamento, porém, não leva aditivos químicos e, portanto, mantem os teores minerais da cana-de-açúcar.

Light
É a mistura de açúcar refinado com adoçantes artificiais, como o aspartame, que adoça quatro vezes mais que as versões naturais.

Portanto, embora não seja isento de gorduras e calorias, o açúcar light adoça mais e é utilizado em menor quantidade, ação que resulta em ingestão de menos calorias.

Além do milho e das frutas, a mandioca e a beterraba também servem de matéria prima para a extração do açúcar ou adoçante natural.

Na próxima quarta, dia 20/07, a Equilíbrio Gourmet estará dando um mini curso de Sobremesas Saudáveis. As vagas serão limitadas. Maiores informações (32) 98411-5221 Chef Cinthia Melo.

Uma excelente semana pra todos!! Abraços.

http://www.bolsademulher.com/medicina-alternativa/1823/tipos-de-acucar-organico-mascavo-demerara-light-e-frutose


Autor: Cinthia Melo

Tags relacionadas: açúcares - tipos - gastronomia - benefícios


Compartilhe:



Para garantir que os alimentos estejam seguros, conservados e livres de contaminação, além de observamos o prazo de validade, devemos também ficar de olho na forma como estão organizados nas gavetas, prateleiras de sua geladeira. Já parou para pensar que você pode está consumindo um produto contaminado dentro da sua própria geladeira? Não se engane a geladeira não conserva os alimentos para sempre, devemos respeitar o período em que cada alimento pode ficar dentro dela.  Muitas vezes o alimento começa a estragar e não vemos os sinais como, por exemplo, odor característico, e quando consumido poderá ocasionar intoxicação alimentar.

A organização dos alimentos é de fundamental importância para sua conservação. Determinados alimentos requerem temperatura mais fria do que outros, daí a importância de armazená-los corretamente dentro da geladeira.

Nas prateleiras superiores, coloque os alimentos que necessitam de maior refrigeração. É nelas que devem ser guardados os alimentos como leite e derivados.

Nas prateleiras intermediárias podem ser reservadas as guloseimas ou sobras de alimentos. Alimentos crus não devem ficar na mesma prateleira dos alimentos cozidos, os crus podem contaminar os cozidos.

Nas prateleiras inferiores os alimentos que necessitam de menos conservação como as verduras. Nas gavetas as frutas, lembrando que as frutas e verduras  não devem ser lavadas para serem armazenadas (lavá-los e coloca-los na geladeira, aumentará a umidade, acelerando o processo de deterioração), devendo ser acondicionadas em saquinhos transparentes, a higienização deverá ocorrer somente quando forem consumidos.

Não esqueça que um descongelamento seguro deve ser feito sob refrigeração.

Dicas!!!
- Utilize recipientes com tampas;
- Evite deixar a porta da geladeira aberta, fique de olho na borracha;
- Realize o descongelamento do congelador seguindo as recomendações do fabricante;
- Verifique a temperatura do refrigerador que deverá está marcando 4,5°C ou menos e congelamento -18°C ou menos;
- Não deixe latas abertas na geladeira. Guarde os alimentos em recipientes fechados;
- Evite guardar catchup, mostarda, maionese e molho inglês na porta da geladeira, por ter uma temperatura de refrigeração bem menor isso diminui a validade dos alimentos;
- Nunca forre as prateleiras da geladeira com plásticos ou toalhas, pois isso dificulta a circulação do ar frio, prejudicando o bom funcionamento do aparelho.

Um excelente fds à todos! Abraços.

http://mcnutrir.com.br/dicas-de-saude/como-armazenar-alimentos-na-geladeira/


Autor: Cinthia Melo

Tags relacionadas: alimentos - geladeira - gastronomia


Compartilhe:



Misturar doces com salgados, quem nunca tentou? A harmonização de sabores culinários é uma ação essencial para formar os nossos hábitos alimentares. Contudo, a combinação de ingredientes precisa de muito mais para suprir as nossas necessidades. Quando falamos em comida, a união dos alimentos deve ser bem elaborada e amplamente experimentada, por isso, cada vez mais, a ciência gastronômica estuda receitas que se completam, não só no paladar, mas como na potencialização do nutrientes para a melhor absorção em nosso organismo. Essa é a chamada "sinergia alimentar".

Arroz com feijão, ou queijo e goiabada, por exemplo, são tradicionais alimentos que, juntos, agregam os mais diversos valores em um prato. Mas qual é a verdadeira razão disso? Quando combinamos dois alimentos ou mais, ingeridos juntos, seus compostos são absorvidos ao mesmo tempo e circulam simultaneamente em nível celular.

Exemplos de combinações alimentares e seus benefícios

• Arroz com feijão: Combinação perfeita de carboidratos e proteínas, fornece um aminoácido (Triptofano) que aumenta a produção do hormônio do bem-estar (serotonina);
• Laranja e feijoada: Comer aquela laranja não somente após uma feijoada, mas junto com feijões simples, potencializa a absorção de ferro e melhora a digestão.
• Queijo com goiabada: Nada melhor que equilibrar o índice glicêmico de um doce incluindo proteínas. Isso evita a hipoglicemia.
• Frutas ou iogurte + cereais integrais: Acrescentar fibras ao alimento, melhora o processo digestivo.
• Abacaxi e carne: Acrescentar rodelas de abacaxi depois de um churrasco, na carne assada, com canela ou não, oferece uma enzima muito importante na digestão de carnes, a bromelina. Isso reduz aquela sensação de estômago pesado.
• Tomate + Abacate: Se você não costuma frequentar restaurantes mexicanos, ou não conhece a culinária deste país, pode achar estranha a combinação, mas acredite, esta união merece ser experimentada. O "guacamole" é uma iguaria típica mexicana, mas também muito encontrado nos EUA. É um acompanhamento para saladas, sanduíches, comidas e aperitivos. Muito saboroso, sua composição tem o poder de prevenir o envelhecimento.

Muitos alimentos combinam, contudo, poucos realmente se completam. Essa é a função da sinergia alimentar. Ao juntar dois ou mais ingredientes, potencializar, não só os sabores do prato, mas como seus valores nutricionais. Um excelente fds à todos leitores!!

http://www.conquistesuavida.com.br/noticia/alimentos-que-combinam-voce-conhece-a-sinergia-alimentar_a2118/1


Autor: Cinthia Melo

Tags relacionadas: alimentos - combinação - gastronomia - sinergia alimentar


Compartilhe:



Todo ano bate aquela dúvida, o que preparar para o dia dos namorados que seja especial e não repetitivo? O primeiro passo para se preparar um jantar romântico é escolher um local onde ambos poderão ficar sozinhos e ter total privacidade, para que possam conversar e aproveitar o momento. Dê uma arrumada no local e arrume a mesa de uma maneira bem aconchegante.

Fique atenta (o) ao cardápio para não colocar algo que o seu parceiro ou parceira não goste e acabar com o clima do jantar, especule e veja qual a melhor opção a se fazer para o jantar, caso você não saiba cozinhar procure um restaurante e encomende a comida com o mesmo. 

Sugestão de cardápio completo:

Petiscos
• "Pout pourri de frutas secas com castanhas" – misture e coloque em taças transparentes: castanha do Pará, uva passa preta e branca, damasco picado e amendoim. Ou você pode fazer umas pastinhas para servir como entrada junto com torradinhas.

Para beber
• Champagne gelada com um morango dentro da taça. Ou escolha um bom vinho e neste caso acompanhe com água. Para quem não quer ou não pode consumir bebidas alcoólicas, sugiro uma falsa sangria: suco de uva com uma pitada de canela e uma colher de sopa de maçã bem picadinha.

Para a entrada
• Salada: Ninho de salada
– coloque alface americana picadinha, formando um círculo. Coloque tomates cerejas partidos ao meio, palmitos e 2 belos camarões grandes (ferva até ficarem cozidos). Tempere na hora de servir com azeite, sal e limão. Monte em pratos individuais.

Prato principal
• Para a noite terminar bem, nada de pratos pesados! Um talharim a bolonhesa é simples de fazer e cai muito bem.

Sobremesa
• Mousse de Chocolate


Espero que tenha gostado das dicas e possa as colocar em prática nesse dia dos namorados, e boa sorte. Um excelente fds à todos!!

www.portaltudoaqui.com.br/jantar-romantico-dia-dos-namorados-dicas-e-receitas-para-uma-noite-especial/


Autor: Cinthia Melo

Tags relacionadas: jantar romântico - dicas - receitas - dia dos namorados


Compartilhe:



Hoje vamos falar dos diversos tipos e cortes de carne que podemos assar para um churrasco. Claro que hoje você pode colocar na churrasqueira carnes de origem suína, frango, linguiças, peixes ou legumes. Porém o churrasco tradicional pede pelo menos 1 corte de carne bovina.

image
Vamos falar agora sobre as características de cada corte para que você possa escolher qual a melhor para ir para a sua churrasqueira, pois nem todos os cortes de carne são ideias para churrasco:

Alcatra – Principalmente o miolo, é uma carne muito macia, pode ser assada em uma peça inteira ou em bifes. Uma boa opção para a churrasqueira.

Acém – Não é recomendada para churrasco. É uma carne magra, não muito macia, ótima para carne de panela, sopas etc.

Chuletas – Diretamente do lombo do boi para sua churrasqueira, apesar de muita gordura a chuleta fica muito saborosa no churrasco.

Filé mignon – Uma carne nobre, pura, sem gordura. Geralmente utilizada na cozinha gourmet para medalhões, escalopes ou estrogonofes. Pode ir para a churrasqueira, mas o tempero deve compensar a falta de gordura.

Músculo – Carne forte e dura. Mais usado em sopas e cozidos. Você pode faze-la na churrasqueira, mas recomenda-se que seja no bafo.

Fraldinha – É a carne que forra a barriga do boi, é um corte pequeno, muito utilizado no churrasco.

Maminha – É uma carne que absorve bem os temperos, então é ótima para ser recheada. Além da churrasqueira ela pode ser usada em assados e ensopados.

Picanha – A melhor amiga da churrasqueira. Carne macia, muito gostosa. No churrasco ela pode ser feita no espeto, na grelha, chapa ou bafo. Dica: procure a peça de picanha com menor peso. Significa que o boi era mais jovem e diminui o risco de trazer parte de outro corte junto a picanha.

Lagarto – Não é muito utilizado na churrasqueira, mas sim para assados recheados.

Coxão mole (Chão de dentro) – Uma carne razoável para consumo regular. Dá bons assados, refogados ou bifes a rolê.

Coxão duro – Para carne moída. Essa carne não é recomendada para churrascos.

Contrafilé – Geralmente utilizada para bifes fritos. Mas se for bem preparada fica bem macia, mesmo não sendo uma carne com muita gordura. Se for leva-la para a churrasqueira recomenda-se um pouco de manteiga para amaciar a carne.

Patinho – Geralmente utilizado para carne moída. Na churrasqueira o patinho não tem grande utilidade.

Cupim – Grande clássico do churrasco, o cupim tem muita gordura. Na Churrasqueira ele é assado diretamente na brasa apenas com sal grosso.

Costela – Fica deliciosa na churrasqueira. Mas não pode ser preparada de forma errada.

image
Para ser preparada corretamente a costela deve ficar na churrasqueira por mais de 6 horas.

Aproveitem essas dicas e tenham um excelente fds!

http://giragrill.com.br/novidade/cortes-de-carne-bovina-qual-deve-ir-para-a-churrasqueira/



Autor: Cinthia Melo

Tags relacionadas: carne bovina - cortes - gastronomia - churrasqueira


Compartilhe:



Quando o assunto é cozinha, há quem faça da culinária uma verdadeira arte, porém nem todos dominam o fogão com maestria. Algumas facas de cozinha são polivalentes, servem para um grande número de tarefas. Outras são específicas para um tipo de corte e podem economizar muito tempo de quem tem que fazer uma tarefa repetidas vezes.

Primeiramente, devemos saber que cada parte de uma faca tem um nome, sendo eles:

• ponta (região que permite fazer perfurações);
• barriga (próxima à ponta, levemente curvada);
• espinha (parte sem lâmina para maior precisão no corte e apoio das mãos evitando acidentes);
• apoio (possibilita o equilíbrio durante o manuseio);
• fio (esse possui vários tipos para cada alimento diferente).

Agora que você conhece cada parte de uma faca, vamos às funções:

• Lisos: que são os mais comuns e conseguem obter corte regular e preciso.
• Serrilhados: indicados para cortes de alimentos com cascas duras de interiores
• Ondulados: desenvolvidos para cortar delicadamente massas macias.
• Com alvéolos: evita que fatias finas e pegajosas se grudem na faca.

Os principais modelos de facas são:

Do chef ou de cozinha: cerca de 15 a 30 cm e ponta ligeiramente curvada, o que permite que a faca deslize na tábua enquanto corta o alimento. É uma faca polivalente, utilizada para cortar frutas, legumes e carnes. 

Para legumes: de multi uso e de extrema importância na cozinha, mas é muito menor que a faca do chef. Com ela você descascará vegetal e fará outros trabalhos que exijam mais precisão, como limpar um camarão, tirar sementes do pimentão e cortar enfeites para o prato.

De pão: são serrilhadas, o que permite cortar o pão sem amassá-lo. Também são usadas para fatiar peças de tomates, pêssegos e nectarinas. Por causa do seu formato serrilhado, não são facas que serão afiadas ao longo de sua vida, mas mesmo assim duram muito.

Santoku: assim como a faca do chef (chef’s knife), a Santoku é uma faca para uso geral, de origem japonesa. Santoku significa "três virtudes", ou "três usos", referindo-se às três tarefas que essa faca desempenha muito bem: cortar, picar e fatiar.

Cutelo: lâmina grande e resistente para partir ossos e alimentar pesados, de fio liso.

De desossar: É a faca ideal para separar a carne dos ossos, e também para cortar frango e peixe. São curvadas e por isso oferecem maior controle para realizar cortes de precisão

De Sashimi: a lâmina longa e fina é chanfrada apenas em um dos lados para ser afiada e possui fio liso.

De queijo: existem várias facas com lâminas diferentes para cada tipo de queijo.

De tornear: lâmina rígida e curva, faz acabamentos e descascam ingredientes arredondados, muito útil para decoração em alimentos.

É importante ressaltar que, para manter a faca com o fio sempre conservado, não se deve guardar as facas com outros talheres. Além disso, recomenda-se sempre amolar as facas com um afiador.

Um bom fds à todos!!

http://www.espacodogourmet.com.br/blogedg/diferentes-tipos-de-facas-e-suas-funcoes/
http://cozinhatecnica.com/2015/02/tipos-de-facas/


Autor: Cinthia Melo

Tags relacionadas: facas - funções - gastronomia


Compartilhe:



Quem resiste a um café com leite bem quentinho logo pela manhã? Essa mistura tão barata, acessível e deliciosa está na mesa de boa parte dos brasileiros todos os dias e já se transformou em um item tradicional do cardápio matutino. 

Um pouco de história
É até difícil dizer quando as pessoas começaram a misturar café com leite, no entanto, alguns registros históricos revelam que essa combinação clássica se tornou famosa na Europa do século XVIII, quando surgiram os primeiros estabelecimentos que comercializavam a bebida. 

Preparos do café com leite
No dia a dia, misturamos o café com leite nas proporções e do jeito que bem entendemos. Há quem combine o café quente com o leite frio, existem quem não abra mão do leite fervido e tem aqueles que adoram um bom café pingado, com mais leite do que café no copo.

Outro preparo que pouca gente associa ao café com leite, mas originalmente o é, é o cappuccino. O cappuccino é a receita mais antiga (data do século XVII) de café com leite e, tradicionalmente essa bebida era preparada com leite, café e mel. A canela e o chocolate foram acrescentados muito tempo depois ao cappuccino.

Variações do café com leite
Nem só de cappuccino e pingado vive essa combinação! Confira a seguir outros tipos de café que se valem dessa mistura:

• Tradicional: café filtrado com leite fervido em proporções similares

• Mocha: mistura trifásica com café expresso, calda de chocolate e espuma de leite vaporizado.

• Médio: popular nas padarias brasileiras, o café médio também é conhecido como cortado, latte ou café latte. Ele é a combinação de café expresso, leite vaporizado e uma camada fina de espuma.

Há ainda o Macchiato, Café com Panna, Café com Chantilly e Café Breve, que são mais famosos em outros países.

Aproveitem essas dicas pra preparar uma dessas delícias para aquecer suas noites!!

A Equilíbrio Gourmet estará na Bendita Feira com várias gostosuras saudáveis para vocês. Faça-nos uma visita. Um bom fds à todos!!!

http://blog.clubecafe.net.br/tudo-sobre-o-tradicional-cafe-com-leite/


Autor: Cinthia Melo

Tags relacionadas: tradicional - café com leite - gastronomia


Compartilhe:



01/04/2016 às 19h15m


O significado da palavra Gourmet.

Gourmet é o nome que se dá um estilo de culinária mais elaborada, requintada e que atende as exigências do consumidor com gosto mais apurado em relação à qualidade e apresentação do prato ou da bebida. A expressão gourmet está associada a uma ideia de "alta cozinha" (haute coisine, em francês), englobando cultura e arte culinária, feita de forma criteriosa, com produtos de qualidade e artisticamente apresentada.

Gourmet é um termo de origem francesa e seu significado designava um conhecedor e entendedor de boas bebidas e iguarias, além de conhecedor de bons vinhos.

Atualmente, gourmet é um termo difundido em diversos idiomas e o conceito que envolve seu nome é amplo, sempre para falar sobre os prazeres da mesa com qualidade. Pode ser associado a uma pessoa que possui paladar apurado, e que têm um conhecimento ou entendimento avançado de culinária e gastronomia. O termo é muitas vezes associado a produtos e serviços mais caros e requintados.

Pode ser também definido como um produto de produção limitada, um produto de design exclusivo e arrojado, com características únicas, e geralmente intitulado como produto de posicionamento "premium", produtos diferenciados e com um forte valor agregado. 

A culinária gourmet é um nicho de mercado bastante explorado e que atinge desde os produtos mais caros e tradicionalmente requintados, como o foie gras e o caviar, como também alimentos mais populares, como hambúrgueres, brigadeiros e coxinhas, por exemplo.

Espaço gourmet
É um ambiente destinado à prática culinária. A cozinha antes considerada um lugar de serviço, situada distante dos demais cômodos da casa, hoje o espaço ganhou evidência.

O espaço gourmet vem sendo instalado em áreas privilegiadas das casas e condomínios ou mesmo nas varandas dos apartamentos. Pode reunir móveis planejados e confortáveis, com diversos equipamentos com requinte e praticidade para a elaboração de um cardápio bem caprichado.

Um excelente fim de semana à todos!!


Autor: Cinthia Melo

Tags relacionadas: cardápio, gourmet, estilo, culinária, qualidade, refeição


Compartilhe:



Um dos mandamentos da Igreja Católica é abster-se de carne (vermelha) e observar o jejum nos dias por ela estabelecidos (Quarta-feira de Cinzas e Sexta-feira Santa). Essa convenção remonta ao século XI, quando o Papa Urbano II a determinou como prática de penitência. O peixe, símbolo profundo na tradição cristã, tornou-se assim, uma opção para o consumo de carne na Semana Santa. Em grego, a palavra peixe – ichtys – servia para a identificação entre os seguidores de Cristo quando eram perseguidos. 

Em quase todas as regiões brasileiras o peixe reina em inúmeras receitas culinárias elaboradas especialmente para o período da semana santa. A variedade de pescados típicos do litoral brasileiro estimula o seu preparo nas mais diversas formas. Os ingredientes locais, herança das culturas étnicas – portuguesa, hispânica, africana e ameríndia –, são responsáveis pela adequação dos alimentos do período pascal ao paladar de cada região. Neles são acrescentados condimentos africanos, indígenas, muito de adaptação do povo brasileiro aos costumes portugueses – azeite, vinhos e bacalhau –, temperos e iguarias. 

A presença do bacalhau na mesa brasileira remonta as primeiras décadas da colonização portuguesa e sua origem é, basicamente, do mar da Noruega. Bacalhau é o nome "genérico" de quatro peixes, o Saithe, o Ling, o Zarbo e, o mais nobre deles, o Cod. Com o bacalhau são elaborados pratos que, muitas vezes, seguem à risca a maneira como o povo lusitano o prepara ou de outra forma, com adaptações ou acréscimos, sem comprometer o sabor.

Em Portugal, na Páscoa, come-se também a carne de cordeiro. Segundo o Antigo Testamento, na Páscoa dos judeus, um cordeiro era sacrificado e degustado na ceia. O animal deveria ser macho, de um ano e sem defeito, assado inteiro, sem quebrar os ossos, acompanhado de ervas amargas e pão ázimo. No Brasil, poucos fieis adotariam esse cardápio. A maioria prefere o bacalhau, camarão, lagosta, crustáceos e peixes de todos os tipos.

A presença dos ovos na Páscoa remonta à antiga Pérsia – onde eram utilizados ovos de galinha – para evocar a vida no final do inverno.

Vindos de Paris, chegaram ao Brasil na segunda década de 1900 e poucos tinham acesso à guloseima. Depois do avanço dos processos industriais, que permitiu maior produção e diminuição do custo, o ovo de chocolate ganhou espaço na mesa de quase todas as famílias.

Um excelente fds à todos leitores!!! Abç

http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/index.php?option=com_content&view=article&id=957%3Asemana-santa-tradicoes-culinarias&catid=53%3Aletra-s&Itemid=1



Autor: Cinthia Melo

Tags relacionadas: semana santa - tradições - gastronomia - culinária


Compartilhe:



Todos os direitos reservados a Marcelo Lopes - www.marcelolopes.jor.br
Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
  • Faça Parte!

desenvolvido por: